Províncias

Planeamento familiar conta com fraca adesão

Domingos Calucipa| Ondjiva

A fraca adesão de mulheres aos serviços de planeamento familiar, nas unidades sanitárias da província do Cunene,  preocupa as autoridades da saúde, tendo em conta o elevado índice de casos de gravidez indesejada, registados diariamente.

Um ângulo da cidade capital do Cunene
Fotografia: Domiano Fernandes

O director provincial da Saúde em exercício, Belarnino Satyohamba, disse que o planeamento familiar ajuda o casal a decidir o número de filhos a ter, o espaçamento entre os mesmos, quando começar a tê-los e quando terminar. Belarnino Satyohamba falava à margem do encerramento de um seminário de capacitação sobre saúde sexual e reprodutiva, dirigida a técnicos dos seis municípios da província,
Belarnino Satyohamba disse serem numerosos os casos de mulheres grávidas que não conseguem cumprir com os intervalos de partos recomendáveis, por falta de métodos de prevenção ou por desconhecimento dos mesmos. “O planeamento é uma via de as famílias combaterem a pobreza, uma vez que quanto numerosa for a família, maiores são as dificuldades.” 

Campanhas de sensibilização

O seminário durou dez dias e  contou com a participação de 20 técnicos. Teve como finalidade munir os quadros da área com novas ferramentas, capazes de contribuírem para a melhoria da qualidade do planeamento familiar. Os formados vão ter a responsabilidade de reproduzir os conhecimentos adquiridos nas suas zonas de trabalho.
“É bom que tenhamos capacidade de conseguir explicar e convencer as mulheres nas nossas áreas, para aderirem ao planeamento familiar, tendo em conta que as estatísticas são preocupantes: os intervalos dos partos são muito curtos”, recomendou o director da Saúde em exercício. Os participantes  consideraram a formação de elevada utilidade, pois vai ajudar na redução da mortalidade materno-infantil na província. Os seminaristas pediram às direcções municipais e provincial da Saúde material gastável e outros meios necessários para o bom exercício da actividade, bem como maior trabalho de supervisão aos técnicos formados, para assegurar a melhoria da qualidade dos serviços.

Tempo

Multimédia