Províncias

Plano director do Cuanhama em análise pelos munícipes

Elautério Silipuleni | Ondjiva

Os termos de referência do plano director do município do Cuanhama foram apresentados e analisados pelos membros do Conselho de Auscultação e Concertação Social da província do Cunene, na sua V sessão extraordinária, orientada pelo governador António Didalelwa.

Desenvolvimento sustentável é o objectivo
Fotografia: Francisco Bernardo

O governador referiu que os termos de referência do plano municipal do Cuanhama foram elaborados por um conjunto de estudos e reflexões de consultores e serão postos à disposição dos munícipes para se obter mais subsídios.
Segundo António Didalelwa, trata-se de um trabalho aturado feito por especialistas que requer um olhar atento dos membros do Conselho de Auscultação e Concertação Social, no quadro da governação participativa, visando o desenvolvimento socioeconómico da província, mais precisamente do município do Cuanhama, que alberga a capital do Cunene.
“Põe-se à disposição este importante documento para que cada um, ao seu nível, tenha a responsabilidade de o compreender e saber interpretá-lo correctamente, visando o bem-estar da comunidade, cujas acções enquadram-se no Plano Nacional de Desenvolvimento, baseado nas acções do programa do MPLA submetido aos eleitores, que mereceu a preferência de uma maioria qualificada”, salientou o governador.
António Didalelwa realçou ainda que para governar e administrar exige-se um trabalho aturado na concepção e adequação de projectos e programas de desenvolvimento, que devem estar em consonância com a Constituição.
O governador pediu maior contributo dos membros na análise do documento, na convicção de que as opiniões a serem colhidas serão valiosas para o seu enriquecimento.
“É um instrumento de ordenamento do território que vai permitir uma melhor governação do município do Cuanhama , para que a localidade conheça um crescimento mais harmonioso, mais urbano do que o que está a ocorrer neste momento”, adiantou.

Tempo

Multimédia