Províncias

Previstas novas culturas para melhor alimentação

A Direcção da Agricultura e Desenvolvimento Rural e Pesca na província do Cunene vai introduzir nesta campanha agrícola as culturas de batata-doce e mandioca, para minimizar a falta de alimentos que se regista nos últimos dois anos, anunciou, em Ondjiva, o director em exercício do sector, Filipe Capitango.

A iniciativa tem como objectivo auxiliar as culturas tradicionais da região, como o massango, massambala, milho e feijão macunde, que nos últimos anos não resistiram à seca severa que afectou toda a província do Cunene.
“As estiagens registadas em 2012 e 2013 tiveram consequências negativas na vida das comunidades, levando a direcção da agricultura a optar pela introdução de novas culturas, para melhorar a dieta alimentar das populações”, sublinhou, realçando que a mandioca e a batata-doce possuem um curto ciclo vegetativo, resistem a altas temperaturas e são de fácil adaptação ao clima da região.
 O Ministério da Agricultura disponibilizou, para este ano, para a província do Cunene, 1.300 charruas, 237 toneladas sementes de cereais e leguminosa, 303 de fertilizantes diversos, 235 quilos de sementes hortícolas, dez semeadores de tracção animal e cem manuais, 25 motobombas, 20 grades de tracção animal e 4.162 unidades de medicamentos de uso veterinário. Apesar disso, Filipe Capitango considera insuficiente o número de tractores existente, tendo em conta estarem mobilizadas para esta campanha agrícola 19 famílias e se pretender mobilizar mais.
A direcção da Agricultura supervisiona 134 associações de camponeses e dez cooperativas, que trabalham nas margens do Rio Cunene, além de 45 grupos de interesse agrícola.

Tempo

Multimédia