Províncias

Primeira escola agro-pecuária do Cunene vai ser concluída em Maio do próximo ano

Elautério Silipuleni | Xangongo

A primeira escola técnica profissional de agro-pecuária do nível médio no Cunene, que está a ser construída na vila de Xangongo, município de Ombadja, vai estar concluída em Maio do próximo ano, apurou o Jornal de Angola junto da empresa Construsul, responsável pela sua edificação.

O empreendimento vai contar com salas de professores e várias áreas de serviços
Fotografia: Fernando Camilo

A primeira escola técnica profissional de agro-pecuária do nível médio no Cunene, que está a ser construída na vila de Xangongo, município de Ombadja, vai estar concluída em Maio do próximo ano, apurou o Jornal de Angola junto da empresa Construsul, responsável pela sua edificação.
A infra-estrutura, que está a ser erguida numa área com cerca de cinco hectares, foi concebida para albergar mais de 450 alunos e vai estar dotada de laboratórios de química, física, mecanização e de solos, dez salas, vários escritórios e gabinetes para o director-geral e seu adjunto.
O empreendimento vai contar ainda com salas de professores, biblioteca, secretaria-geral, além de um espaço reservado a estábulos de animais e outras áreas para o cultivo de vários cereais e tubérculos para as aulas práticas.
O administrador municipal de Ombadja, Domingos Manuel Tabi, mostrou-se optimista quanto à conclusão da escola agrária, prevista para o mês de Maio de 2012.
Domingos Manuel Tabi referiu que a construção da escola vai permitir dar um outro alento ao desenvolvimento do sector agro-pecuário de Ombadja. “Com o potencial que o município possui, no sector da agricultura, ainda pouco explorado por falta de técnicos da especialidade, uma escola agrária em Ombadja constitui um grande benefício, atendendo também ao programa do Executivo de combate à fome e à pobreza”, disse.
A formação de técnicos nesta área vai, segundo o responsável, incentivar os camponeses e empresários a apostarem fortemente no ramo agro-pecuário e impulsionar o desenvolvimento do próprio município.
O responsável lembrou que a agricultura é determinante para o auto-sustento dos cidadãos e, por isso, disse, “temos todos que apostar neste ramo”.
O município é atravessado em cerca de 220 quilómetros pelo rio Cunene e a preocupação das autoridades é o aproveitamento das duas margens do rio com a criação de cinturas verdes, permitindo a produção de alimentos em grande escala. Devido ao seu potencial agro-pecuário e fertilidade dos solos, o município de Ombadja é considerado a capital económica da província do Cunene. 
Integra as comunas de Xangongo, Naulila, Ombala-yo-Mungo, Humbe e Mucope e conta com cerca de 90 cinturas verdes, nove pomares e várias cooperativas e associações de camponeses.

Tempo

Multimédia