Províncias

Problemas das cheias no Cunene foram debatidos por especialistas

Elautério Silipuleni|Ondjiva

As causas, problemas e vias de solução para as inundações na província do Cunene foram debatidos na quarta e quinta-feira, em Ondjiva, durante um encontro promovido pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia.

O Executivo tem criado políticas destinadas a mitigar as consequências das inundações
Fotografia: Jornal de Angola

As causas, problemas e vias de solução para as inundações na província do Cunene foram debatidos na quarta e quinta-feira, em Ondjiva, durante um encontro promovido pelo Ministério do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia.
O colóquio, subordinado ao tema “A contribuição da ciência na prevenção e mitigação das cheias do Cunene”, reuniu membros da comunidade científica e do sector produtivo das províncias do Cunene, Huíla e Luanda, assim como da África do Sul e de Portugal.
O director nacional de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério do Ensino Superior e da Ciência e Tecnologia, Gabriel Luís Miguel, disse que os problemas relacionados com o fenómeno das cheias e secas tem merecido a maior atenção por parte do Estado, que tem criado políticas e programas conjuntos para serem encontradas medidas de mitigação.
“Com base nos estudos das bacias hidrográficas é possível conhecer as diferentes formas e reacção das mesmas e propor medidas que contribuam para melhorar a sua gestão, tudo isto, recorrendo à ciência e à tecnologia”, sublinhou. Daí a grande importância que deve ser atribuída à promoção de acções de investigação científica relacionadas como os recursos hídricos.
O governador do Cunene, António Didalelwa, disse esperar que neste colóquio os especialistas identifiquem as causas e problemas causados pelas cheias e determinem vias de solução. No fundo, que sejam encontradas soluções que ajudem, no futuro, a prevenir e mitigar as consequências das inundações na província do Cunene.
Os especialistas abordaram temas como “Recursos hídricos em Angola”, “A problemática das cheias na bacia hidrográfica do Rio Cunene” e “O papel regularizador da barragem do Gove e sua influência na gestão de cheias na bacia hidrográfica do Cunene”.
A importância da caracterização de aquíferos, prevenção e mitigação dos efeitos negativos das cheias do Cunene, recarga de águas subterrâneas, alterações climáticas, avaliação do risco de cheias e vulnerabilidade do clima e mudança global foram igualmente temas abordados.
Durante o encontro, foi apresentado “O projecto Calonga”, com um sistema para a monitorização de cheias e qualidade da água nas bacias hidrográficas do Cunene e Cuvelai-Etosha. Também participaram no colóquio especialistas dos órgãos do governo provincial do Cunene de Energia e Águas, Protecção Civil e Bombeiros, Serviços Meteorológicos, Ambiente, Agricultura, Desenvolvimento Rural e Pescas, estudantes e representantes da  sociedade civil.

Tempo

Multimédia