Províncias

Professores do Cuvelai abandonaram as aulas

Elautério Silipuleni | Cuvelai e Adelaide Mualimusi | Ondjiva

Professores do ensino primário e primeiro ciclo de algumas aldeias do município do Cuvelai, província do Cunene, estão ausentes das suas actividades desde 2010. Segundo o chefe da repartição municipal da Educação, Daniel Ndutifa, a fuga dos professores implica que os presentes trabalham sobrecarregados.

Muitos alunos são obrigados a percorrer longas distâncias para prosseguir os estudos
Fotografia: Jornal de Angola

“Numa escola, onde existem alunos da iniciação à sexta classe, há apenas dois professores, o que impossibilita a cobertura de todas as classes porque 54 estão ausentes há muito tempo”, afirmou.
Daniel Ndutifa disse ainda que a ausência dos professores colocados nas comunas do município deixa inúmeras crianças sem aulas.
A Administração Municipal já tem conhecimento da ausência dos 54 professores, desde o ano de 2010. Esta situação levou a que algumas escolas das zonas rurais tivessem que ser encerradas por falta de professores, provocando o êxodo de alunos para outras escolas, algumas a mais de dez quilómetros.
O município do Cuvelai regista um elevado número de alunos fora do sistema normal de ensino, principalmente na comuna do Cubati.
O chefe de repartição municipal de Educação disser que o elevado número de alunos fora do sistema normal de ensino deve-se também à falta de escolas nas zonas rurais. Para o presente ano lectivo, no município do Cuvelai foram matriculados 16.359 alunos. As aulas são asseguradas por 724 docentes de diferentes níveis.
No entender da autoridade do ensino na localidade, o município necessita de pelo menos mais 450 professores, para colmatar a carência.

Sector da saúde


O responsável da secção municipal da Saúde no município do Cuvelai, Eduardo Zacarias, considerou que o sector registou melhorias na qualidade de atendimento à população e a nível de infra-estruturas erguidas na jurisdição, nos dois últimos anos.
Foram registadas melhorias no acesso à saúde, assistência médica e medicamentosa, extensão da rede sanitária e no enquadramento de novos técnicos.
Segundo Eduardo Zacarias, a Administração Municipal desenvolveu um programa de construção de unidades sanitárias, com vista a diminuir as distâncias que a população percorre à procura de serviços hospitalares.
Apesar de existir apenas um único médico no município, o atendimento à população regista melhorias. A única preocupação que se regista nesse momento é a falta de médicos especializados, para colmatar as dificuldades de assistência aos doentes. A rede sanitária no município do Cuvelai é composta por um hospital municipal, cinco centros e 13 postos de saúde.

Ensino especial

Um total de 30 professores do primeiro ciclo participa, desde o dia 19, em Ondjiva, Cunene, num seminário de capacitação, auditiva e visual, para melhorar o ensino especial. A formação é promovida pela Direcção Provincial da Educação do Cunene e está a ser dirigida pela Escola do Ensino Especial “Rainha Nekoto”.
De acordo com a directora da Escola do Ensino Especial, Ana Bela Ndecunha, esta formação vai ajudar os professores do primeiro ciclo a lidar com os alunos que têm deficiências auditivas e visuais, que terminam o ensino especial para ingressar no primeiro ciclo.
 “Os alunos que saírem da Escola Especial são incluídos num sistema normal de ensino, porque não temos o nível seguinte para prosseguirem com a sua formação especial”, disse  Ana Bela Ndecunha.  O seminário tem o seu encerramento  previsto para hoje.

Tempo

Multimédia