Províncias

Professores primários do Cunene reforçam sector nas zonas rurais

ELAUTÉRIO SILIPULENI | Ondjiva

A Escola de Formação de Professores do Futuro da Organização Não-Governamental Ajuda de Povo para Povo (ADPP), na localidade de Oifidi, na província do Cunene, lançou para o mercado, na quinta-feira, 71 novos agentes que vão assegurar o processo de ensino primário nas comunidades rurais.

Formandos adquirem durante o curso conhecimentos em matérias que reflectem as diversas situações que as comunidades rurais vivem
Fotografia: Elautério Silipuleni|Ondjiva

A Escola de Formação de Professores do Futuro da Organização Não-Governamental Ajuda de Povo para Povo (ADPP), na localidade de Oifidi, na província do Cunene, lançou para o mercado, na quinta-feira, 71 novos agentes que vão assegurar o processo de ensino primário nas comunidades rurais.
Os formados receberam, durante o curso de oito períodos curriculares, conhecimentos em matérias que reflectem as diversas situações que as comunidades rurais vivem, assim como tiveram aulas para aprimorar práticas e oficinas pedagógicas e um estágio, com duração de um ano lectivo, nas escolas da província.
O vice-governador para o sector económico do Cunene, António dos Santos Candeeiro, salientou que aos 71 professores recém-formados coloca-se o desafio de contribuírem para a melhoria do processo de ensino e aprendizagem nas escolas do ensino primário das comunidades rurais.
“Os novos professores da província devem ajudar na luta contra o analfabetismo”, disse o governante, para quem as autoridades reconhecem o grande contributo que a Escola de Formação de Professores do Futuro tem prestado no engrandecimento e fortalecimento do sistema educativo.
António Candeeiro reconheceu a qualidade dos professores formados pela  Ajuda de Desenvolvimento de Povo para Povo (ADPP) e apelou à disponibilidade dos recém-formados para trabalharem onde forem colocados, principalmente nas zonas rurais e mais carenciadas. O vice-governador disse que o aumento considerável da qualidade de ensino a todos os níveis do sistema de educação é uma das apostas do Executivo para os
próximos anos.
/>Investir na formação

O director da Escola de Formação de Professores do Futuro de Oifidi, Antero Gonçalves Dulo, assegurou que a instituição que dirige vai continuar a apostar na formação de professores com qualidade, para que estes ajudem a erradicar o analfabetismo e a pobreza.
O responsável apelou para que os novos professores trabalhem com humildade para transpor os obstáculos, uma vez que a profissão que escolheram exige dedicação, resistência, originalidade e comportamento exemplar.
Disse que os professores devem tomar consciência e responsabilidade de tudo aquilo que possam fazer para a melhoria do sistema de ensino e bem social das comunidades.

Centenas de professores   

A Escola de Formação de Professores do Futuro, que existe há quatro anos na província do Cunene, já formou 180 docentes qualificados para leccionarem nas zonas rurais e suburbanas em diferentes pontos do país. O director do estabelecimento estudantil disse que muitos destes agentes do ensino prestam contributo no sector da Educação nas províncias do Cunene, Kuando-Kubango, Huíla e Namibe.
Antero Gonçalves Dulo disse que a escola controla actualmente 341 estudantes, sendo 90 em regime de internato, 90 em sistema de estágio curricular de nove meses nas escolas primárias do Kuando-Kubango, Huíla, Namibe e Cunene, enquanto outros 90 vão iniciar a formação em Fevereiro.
Os novos professores juntam-se aos 4.869 professores já graduados nas Escolas de Formação de Professores de Futuro (EPF), em todo o país, desde 1995.

Tempo

Multimédia