Províncias

Profissionais da saúde de Namacunde abordam problemas da má nutrição

Dionísio David | Namacunde

Técnicos do sector da saúde de Namacunde, província do Cunene, analisam desde segunda-feira, até hoje, num seminário sobre nutrição no seio das comunidades urbanas e rurais, a melhor forma de se combater este problema.

Grande parte da população das áreas rurais tem noção e conhecimento dos riscos
Fotografia: Jornal de Angola

Técnicos do sector da saúde de Namacunde, província do Cunene, analisam desde segunda-feira, até hoje, num seminário sobre nutrição no seio das comunidades urbanas e rurais, a melhor forma de se combater este problema.
Promovido pela Direcção provincial da Saúde Pública, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para Infância (UNICEF), o seminário pretende transmitir aos quadros locais do ramo da saúde as melhores formas de eliminar paulatinamente os casos de má nutrição que ainda se verificam um pouco em toda a província.
A supervisora do Programa Provincial de Nutrição, Adelina Francisca Lino, disse que a província do Cunene, por razões óbvias, se encontra ainda no chamado quadro vermelho nesta matéria.
Em função disso, a responsável diz ser importante dar-se prioridade à informação e educação junto das comunidades, de forma a terem em conta o perigo que a má nutrição representa para as crianças dos zero aos cinco anos, por serem as mais vulneráveis.  
Adelina Manuela indicou que grande parte da população das áreas rurais tem noção e conhecimento dos riscos que esta situação acarreta e referiu que tal situação leva a que muitas mães, ao invés de levarem a criança ao posto médico, na maior parte dos casos recorre a tratamentos tradicionais.
“Em Agosto deste ano, fez-se um inquérito e chegou-se à conclusão que tem havido trabalho na educação das pessoas, mas ainda existem muitos casos de má nutrição, um pouco por toda a província, sem se ter em conta as consequências que isso acarreta para as famílias”, referiu. 
Apesar do quadro negativo, a responsável reconheceu algumas melhorias e mudanças de comportamento por parte das comunidades que, segundo ela, se devem às acções de formação levadas a cabo.  
A formação, a ser desenvolvida junto das comunidades, incide particularmente nos aspectos sobre aleitamento materno, casos de má nutrição aguda severa, prevenção e cuidados primários. A mensagem principal recai na educação e aconselhamento às mães no sentido de aderirem a medidas sanitárias de prevenção. Nos últimos tempos, o Programa de Nutrição local tem-se transformado quase num programa integrado, dada a necessidade de se difundir, cada vez mais, a mensagem, no seio das comunidades e das famílias.  Outras acções semelhantes vão ser realizadas ainda no decorrer de 2011, nos municípios do Cuvelai, Cahama e Curoca.

Tempo

Multimédia