Províncias

Programa beneficia comunidades rurais

Elautério Silipuleni | Cahama

As localidades Tchihaluveya I e II no município da Cahama, no Cunene, beneficiam de mais água potável, com a instalação de dois sistemas de abastecimento, construídas no âmbito do Programa "Água para Todos", em curso na província.

Água potável volta a jorrar nas torneiras
Fotografia: Eduardo Pedro

Os dois sistemas de distribuição, inaugurados pelo vice-governador para o Sector Político e Social, José do Nascimento Veyeleinge, são alimentados por painéis solares e têm reservatórios com capacidade para cinco mil litros cada, dois chafarizes, lavandaria  e bebedouro para o gado.
As  obras dos dois pontos de água das localidades de Tchihaluveya I e II custaram 18 milhões de kwanzas.
O vice-governador José do Nascimento Veyeleinge afirmou a aposta das autoridades em levar água potável às populações que vivem nas localidades mais recônditas e aconselhou aos u­suários “mais organização e preservação dos equipamentos”. A água potável, afirmou, está agora mais próxima das famílias de Tchihaluveya I e II, na povoação da Uia, no município da Cahama, e vai prevenir doenças causadas pelo consumo de água imprópria. “A água potável está agora perto das comunidades destas duas localidades rurais”, afirmou. />
Casas para desmobilizados

As primeiras casas concluídas no âmbito do programa de melhoria das condições de habitação dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria foram entregues na vila de Xangongo, município de Ombadja, em cerimónia orientada pelo vice-governador José do Nascimento Veyeleinge. Além das quatro casas entregues aguarda-se a construção de outras quatro, para totalizar oito residências do tipo T3 para os Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria naquele município. Construídas no âmbito do Programa de Investimentos Públicos, as residências foram construídas numa área útil de 4.800 metros quadrados. A construção das casas custou 67.­668.323,00 kwanzas.
“A entrega das casas aos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria é o reconhecimento de tudo o que fizeram para o alcance da Independência e da Paz no nosso país, numa altura em que Angola comemora 13 anos de Paz”, disse José do Nascimento Veyeleinge.

Tempo

Multimédia