Províncias

Pulverização nas casas com bons resultados

Elautério Silipuleni | Ondjiva

O coordenador provincial do Programa de Pulverização Residual Intra-domiciliar (PRI) afirmou estar satisfeito com a redução de casos de malária na província do Cunene, no âmbito da campanha de pulverização de residências nos municípios do Cuanhama e Namacunde, ao longo do ano passado.

A população continua a ser aconselhada no sentido de facilitar o trabalho das equipas criadas para o êxito das campanhas de pulverização
Fotografia: Jornal de Angola

O coordenador provincial do Programa de Pulverização Residual Intra-domiciliar (PRI) afirmou estar satisfeito com a redução de casos de malária na província do Cunene, no âmbito da campanha de pulverização de residências nos municípios do Cuanhama e Namacunde, ao longo do ano passado.
José Manuel, que falava ontem ao Jornal de Angola, quando fazia o balanço da campanha, disse que os trabalhos incluíram o levantamento das estruturas existentes, a sensibilização, mobilização e palestras sobre a importância do Programa e Pulverização Residual Intra-domiciliar.
Os trabalhos realizados durante 2012 permitiram pulverizar 15.094 residências, das 16 mil previstas inicialmente.
Segundo o coordenador do projecto, os resultados são satisfatórios, porque se conseguiu atingir 95 por cento do programado. “Tudo isto nos leva a crer que a população está a acatar as informações passadas pelos parceiros da direcção provincial da Saúde no combate à malária e outras doenças”, realçou
José Manuel sublinhou que o projecto de pulverização está a permitir a redução de casos de mortes por malária a nível da região, tendo em conta os números da doença registados em 2012. Este ano, a sua direcção vai elaborar um plano de pulverização residual intra-domiciliar mais abrangente, que visa combater a malária em todos os pontos da província.
Dados da direcção provincial da Saúde indicam que, durante o ano findo, foram registados 47.320 casos de malária, que resultaram em 334 óbitos, números consideravelmente inferiores em relação ao período anterior, quando foram registados 90.651 casos e 362 mortos.
O director provincial da Saúde, Eleutério Hivilikwa, lembrou que a malária continua a ser a doença mais mortal do país e em particular no Cunene.
O Ministério da Saúde, através do programa nacional da malária, definiu um plano estratégico para a redução da mortalidade por malária, controlo integrado do vector, com várias intervenções, como a pulverização residual intra-domiciliar, o uso de mosquiteiros tratados com insecticidas, a fumigação e saneamento básico.
Outras medidas residem no reforço institucional, diagnóstico, tratamento e abastecimento em medicamentos, controlo integrado do vector mosquito, previsão, detecção, prevenção e controlo das epidemias, informação e educação das populações. A referida campanha é uma iniciativa do Programa Nacional do Controlo da Malária, com o apoio da USAID/PMI, e está a ser desenvolvida pela organização americana RTI (Instituto Triangular de Pesquisa), em colaboração com a Direcção provincial da Saúde. Eleutério Hivilikwa pediu à população para continuar a acatar as medidas preventivas, de modo a permitir que as casas sejam pulverizadas gratuitamente, para se evitar determinadas doenças.

Tempo

Multimédia