Províncias

Reactivada a comissão para combater a cólera

Elautério Silipuleni | Ondjiva

A cólera causou a morte de pelo menos 111 pessoas, de Janeiro a Novembro do corrente ano, na província do Cunene, de acordo com o director provincial da Saúde.

População aconselhada a prevenir a doença
Fotografia: Jornal de Angola

Eleutério Hivilikwa, que falava ontem à imprensa, disse que o número de óbitos resulta do registo de 2.879 casos notificados.
A direcção da Saúde e outros parceiros sociais do Governo estão a realizar trabalhos junto das comunidades, para informar sobre os cuidados a ter em caso de surgirem possíveis sintomas da doença.
No encontro que manteve com o vice-governador e outros parceiros, o director da Saúde defendeu a criação de mais centros comunitários nos municípios, para atender casos novos. A situação é preocupante, porque inicialmente só nos municípios de Cahama, Curoca e Ombadja se registavam casos de cólera.
A doença já se alastrou para os municípios do Cuanhama e Cuvelai, disse Eleutério Hivilikwa. Desde o início do surgimento do surto de cólera na província, acrescentou, apenas o município de Namacunde continua sem registo de casos da epidemia.

Comissão provincial


O Governo Provincial do Cunene traçou como principal prioridade a distribuição e fornecimento de água potável às comunidades. Com a finalidade de dar resposta ao surto de cólera que assola a província do Cunene, o Governo local  reactivou a comissão provincial de combate à epidemia, que tem a tarefa de traçar estratégias e planos que permitem a erradicação da doença.
O vice-governador do Cunene para o sector político e social, José Veyelenge, enfatizou o desencadeamento de uma luta para a contenção do avanço da cólera. As pessoas procuram em os todos cantos água para consumo, sem terem em conta a sua qualidade. A Comissão Provincial de Combate à Cólera é coordenada pelo governador provincial do Cunene  e integrada por quadros de diferentes sectores sociais e económicos.

Tempo

Multimédia