Províncias

Registados casos de hepatite

Adelaide Mualimusi| Ondjiva

O Hospital Geral de Ondjiva notificou desde Janeiro 23 novos casos de hepatite, que resultaram num óbito, informou o médico especialista Freám Hidalgo Penha. Em relação ao mesmo período do ano passado, registou-se uma diminuição de dois casos.

Freám Penha realçou que a hepatite é uma degeneração do fígado. Existe a hepatite A que é transmitida pela água e alimentos contaminados ou de uma pessoa para outra. Fica incubada entre dez e 50 dias e normalmente de início não tem sintomas. Mas depois de se manifestar os sinais mais comuns são a febre, a cor amarela da pele e dos olhos, náusea e vómitos, mal-estar, desconforto abdominal, falta de apetite, urina com cor de coca-cola e fezes esbranquiçadas, segundo Freám Penha .
O médico apelou aos jovens para que quando fizerem o teste do VIH, peçam igualmente um exame de hepatite, para se prevenirem da doença, que considerou perigosa.
Apesar de existir vacina contra o vírus da Hepatite A, a melhor maneira de evitá-la é o saneamento básico, tratamento adequado da água, cozer bem os alimentos e lavar sempre as mãos antes das refeições.
“As hepatites B e C não têm cura e são transmissíveis como o VIH, através das relações sexuais”, rematou o especialista do Hospital Geral de Ondjiva.

Tempo

Multimédia