Províncias

Retomada circulação rodoviária no troço entre Ondjiva e Cuvelai

A circulação rodoviária no troço Ondjiva e o município do Cuvelai foi já retomada, com a redução dos níveis da água das cheias, disse, à Angop, o administrador municipal.

A circulação rodoviária no troço Ondjiva e o município do Cuvelai foi já retomada, com a redução dos níveis da água das cheias, disse, à Angop, o administrador municipal.
Lopo Bravo lembrou que era impossível atingir Ondjiva por via terrestre, bem como a localidade de Omala, mais próxima de Cuvelai, devido “as enchentes que haviam cortado toda ligação rodoviária com outros pontos da província”.
 “Há quatro dias que as chuvas pararam e a situação tende a voltar ao normal, ficando a obrigação da continuidade da assistência a toda população vítima deste fenómeno natural”, declarou.  O administrador municipal de Ombadja, Manuel Domingos Taby, disse que na sua área de jurisdição a realidade é a mesma, pelo que a livre circulação sobre a ponte do rio Caculuvale foi restabelecida, permitindo transitar para a comuna do Humbe e para a povoação de Kalueque.  As cheias em Ombadja, referiu, destruíram 47 casas e desalojaram 120 pessoas, que estão sob controlo dos serviços da administração local.

Alunos no Evale
voltam às aulas

As 3.340 crianças que assistiam às aulas debaixo de árvores, na comuna do Evale, devido às cheias, começaram já a voltar às salas, fruto da redução dos níveis de água, declarou, à Angop, a administrador comunal.
Celeste Estêvão frisou que “as enchentes tomaram conta das escolas ao arredor da sede comunal e do interior da província, causando a paragem provisória das aulas no Evale.  A administradora disse que devido à chuva, 1.690 pessoas perderam todos os haveres.
Este é o terceiro ano consecutivo que se registam cheias na província do Cunene, onde cerca de 12 mil pessoas foram afectadas, 5.805 alunos ficaram temporariamente sem aulas, 425 campos agrícolas inundados e várias casas destruídas, deixando ao relento muitas famílias.

Tempo

Multimédia