Províncias

Seca no Cunene leva a população a vandalizar as condutas de água

A seca, que a província do Cunene vive desde Outubro de 2018, está a provocar a vandalização, por desconhecidos, das condutas de transportação de água potável, da comuna do Xangongo, no município de Ombadja, à cidade de Ondjiva (Cuanhama).

Há comunidades a viverem perto da conduta, mas têm de ir buscar água em zonas distantes
Fotografia: Dr

De acordo com a Angop, que cita o director municipal da Energia e Águas do Cuanhama, Ernesto Saugesapwano, a prática tem a ver com o facto de as comunidades em volta não estarem a beneficiar da água da conduta que passa ao lado das suas casas e de os chafarizes e furos estarem distantes.
“Para se ultrapassar essa situação, a Administração Municipal está a reabilitar os chafarizes construídos ao longo da conduta, no âmbito do programa de emergência, que contempla 34 furos de água (avariados ou entupidos) no Cuanhama, sete dos quais já a funcionar”, reportou.
A província do Cunene vive, desde o mês de Outubro de 2018, uma acentuada seca, com 880.172 pessoas e um milhão de animais de pasto afectados. O fenómeno já causou a morte de 30 mil animais bovinos, caprinos e suínos, e tem-se agravado diariamente.
O Governo disponibilizou 20 camiões cisternas e 400 reservatórios, em vários pontos, para facilitar a distribuição de água às vítimas. Em paralelo, está em curso a reabilitação de 171 furos, uma média de 28 por cada um dos seis municípios. Igualmente, o Executivo disponibilizou 3,9 mil milhões de kwanzas para a aquisição de bens diversos e está prevista a implementação de vários projectos de longo prazo.

Tempo

Multimédia