Províncias

Sector define acções a realizar este ano

Dionísio David| Ondjiva

O sector da Educação na província do Cunene está empenhado na expansão do ensino, com prioridade para as zonas rurais e suburbanas, com o objectivo de erradicar o analfabetismo pelo menos até 2017, afirmou em Ondjiva a coordenadora da instituição, Susana Ndahafa.

Autoridades da província pretendem reduzir os índices actuais de analfabetismo e a integração do processo de alfabetização em todos os programas de desenvolvimento rural integrado
Fotografia: José Soares

A responsável considerou positivo o balanço de 2012, a julgar pelos resultados conseguidos na província, fruto do empenho das administrações municipais.
Susana Ndahafa salientou que, durante 2012, 24 mil cidadãos, na sua maioria mulheres e jovens, aprenderam a ler e escrever em toda a província. Estes números, de acordo com a responsável, evidenciam o interesse das comunidades em participar activamente no processo de alfabetização.
Neste ano lectivo, estão matriculados na primeira etapa, de seis meses, 14.727 alunos, dos quais 10.323 são do sexo feminino, na sua maioria na faixa etária dos 20 aos 45 anos.
A província do Cunene conta com 400 alfabetizadores. Os municípios de Ombadja e Cuanhama são os que possuem mais professores, com 202 e 126, respectivamente. A Cahama conta com 61 alfabetizadores, Cuvelai com 46, Namacunde com 41 e Curoca com 24. Susana Ndahafa disse que o sector tem contado com vários apoios, do ponto de vista institucional e material, da Direcção Provincial da Educação, das administrações municipais e comunais e das organizações não governamentais, com destaque para a organização não governamental de Ajuda Dedesenvolvimento de Povo Para Povo (ADPP), que tem dado um contributo significativo, principalmente na formação de novos professores, os quais já desempenham um papel de realce no ensino nas áreas mais recônditas. A formação de professores por parte da ADPP tem permitido ajudar a colmatar as carências ainda existentes. A par da formação de novos professores foi realizada uma série de seminários, que visaram dotar os alfabetizadores de novos conhecimentos, em função das inovações no sistema de alfabetização, tendo em conta os desafios do presente e do futuro.
A responsável destacou que, em relação aos objectivos específicos, a prioridade é a redução dos índices actuais de analfabetismo e a integração do processo de alfabetização em todos os programas de desenvolvimento rural integrado.
Susana Ndahafa afirmou que o processo tem ainda como objectivo contribuir para o combate à pobreza, aumentar a produção e melhorar a produtividade nos diferentes sectores da vida nacional, contribuindo, deste modo, para a promoção dos valores éticos, morais e cívicos.

Tempo

Multimédia