Províncias

Sede da província do Cunene tem escassez de combustível

Elautério Silipuleni | Ondjiva

A escassez de combustíveis nos postos de revenda da cidade de Ondjiva está a preocupar os automobilistas e muitos estão a parquear as viaturas, principalmente os que fazem serviço de táxi, constatou na terça-feira a reportagem do Jornal de Angola.

A escassez de combustíveis nos postos de revenda da cidade de Ondjiva está a preocupar os automobilistas e muitos estão a parquear as viaturas, principalmente os que fazem serviço de táxi, constatou na terça-feira a reportagem do Jornal de Angola.
Os dois postos de revenda de combustível há quatro dias que têm longas filas. “Estamos a aguardar. O gerente garantiu que o combustível vai chegar na sexta-feira ou sábado do Lubango”, disse o automobilista Bernardo Joaquim. 
A falta de combustível, disse este condutor, não se verifica apenas nos postos de revenda. “No mercado paralelo, também não há à venda gasolina, nem gasóleo, nem tão pouco petróleo”, precisou.
O Jornal de Angola soube que o atraso no reabastecimento de combustível do Lubango a Ondjiva está relacionado com o mau estado da estrada que liga Cahama ao Humbe, na qual os camiões encontram grandes dificuldades para circular. “As constantes chuvas que se abatem naquele região também têm dificultado a circulação”, referiu Bernardo Joaquim.
A falta de combustível em Ondjiva está ainda a afectar alguns serviços públicos. Muitos funcionários que recorrem aos serviços de táxi, não estão a apresentar-se nos seus postos de trabalho.
Entretanto, as paragens de táxis continuam a registar enchentes. Os poucos táxis que estão a circular subiram o preço da corrida, que está a chegar a 250 kwanzas, ao contrário dos 100 habituais.

Tempo

Multimédia