Províncias

Uma barragem hidroeléctrica para mudar a vida da província

Quinito Kanhameni| Ondjiva

Um projecto conjunto entre Angola e a Namíbia, para a construção de uma central hidroeléctrica avaliada em 1,1 mil milhões de dólares, vai ser construída na província do Cunene a partir de 2013, visando combater o défice de fornecimento de energia eléctrica que se regista há uma década e que tem afectado as duas economias.

 
Um projecto conjunto entre Angola e a Namíbia, para a construção de uma central hidroeléctrica avaliada em 1,1 mil milhões de dólares, vai ser construída na província do Cunene a partir de 2013, visando combater o défice de fornecimento de energia eléctrica que se regista há uma década e que tem afectado as duas economias.
O projecto, denominado Baynes, cuja obra vai ter duração de cinco anos, contempla uma estação de energia hidroeléctrica e uma barragem no rio Cunene, de acordo com as autoridades namibianas ligadas à empresa de energia Napower. O projecto é uma iniciativa conjunta dos dois governos, sendo 50 por cento dos custos cobertos por Angola e outros 50 por cento pela Namíbia.
A barragem gigante é vista como um marco para ambos os lados, pois trata-se de uma empreitada que visa acabar com as falhas de energia que têm limitado o desenvolvimento económico da região.
Nesta altura decorre o processo de elaboração dos pacotes financeiros, da arquitectura, ao que se seguirá a contratação do empreiteiro que vai se encarregar da execução da obra.
 
Linha vai ligar
Namíbia a Angola

 
Enquanto a construção da central hidroeléctrica não sai do papel, a cooperação entre Angola e a Namíbia no domínio da energia prossegue noutros terrenos. O projecto de construção da linha de alta tensão que vai transportar a energia eléctrica a partir de Onuno (Namíbia), passando pelas localidades do posto fronteiriço de Santa-Clara, Namacunde, missão Católica de Omupanda, com destino a cidade de Ondjiva, capital da província do Cunene, encontra-se numa fase bastante avançada.
Segundo o director da sub-direcção provincial da Empresa Nacional de Electricidade (ENE) no Cunene, Silvestre Olim, o programa de construção da linha de transmissão de 132 kv para Ondjiva está em curso, aguardando apenas a reabilitação das redes de média e baixa tensão e de iluminação pública. A rede de média tensão vai substituir a primeira linha construída há 12 anos, cujos equipamentos se encontram em estado obsoleto.
Os trabalhos, a cargo da empresa Ciydon, tiveram início em 2009 e permitiram já a colocação de 92 postes de betão, dos 110 previstos. De acordo com Silvestre Olim, os trabalhos estão suspensos devido às inundações que a província registou no primeiro trimestre do ano, mas tão logo se verifique o rebaixamento das águas “vamos dar reinício às obras”.


Namíbia abastece
parte da província

A cidade de Ondjiva, a vila de Santa Clara, e a sede municipal de Namacunde estão a receber energia eléctrica com rigorosas restrições desde o mês de Março, devido à uma avaria na subestação de Onuno, na República da Namíbia, que abastece parte da província do Cunene. O fornecimento de energia eléctrica foi reduzido de seis para três Mw, devido a vários constrangimentos registados em instituições públicas e privadas.
Segundo o director da subdirecção da ENE do Cunene, esforços estão a ser feitos pelos técnicos da empresa de electricidade namibiana para solucionar o problema.
Silvestre Olim disse que a empresa de electricidade namibiana encarregada de manutenção da subestação está ao corrente da situação e a qualquer altura o problema pode ser resolvido. A situação tem vindo a causar transtornos aos estudantes no período nocturno, estando muitas escolas obrigadas a recorrer a geradores para garantir as aulas.

Falta de fontes alternativas

A cidade de Ondjiva, capital da província do Cunene, não tem fontes alternativas para o abastecimento de energia. O fornecimento é assegurado a partir da Namíbia, através de um acordo de cooperação entre os dois países, que tem como objectivo o fornecimento e distribuição de energia às localidades de Santa Clara, Namacunde, Missão Católica de Omupanda e Ondjiva.

Perspectivas

Além do projecto de construção da linha de transmissão de alta tensão, existem outros que aguardam financiamentos, como a construção da central térmica de Ondjiva, numa área de um hectare, correspondente a um campo de futebol, onde vão ser instalados grupos geradores, tanques, reservatórios e tubagens, sala de comando e do transformador elevador, armazém, refeitório, arrecadação e casas de banho.
Outros projectos contemplam a reabilitação das redes de média e baixa tensão, e de iluminação pública das cidades de Ondjiva, Xangongo e Cahama.

Tempo

Multimédia