Províncias

Vários engenhos explosivos são removidos de uma casa

Elautério Silipuleni| Ondjiva

Um total de 45 engenhos explosivos não detonados foi removido na terça pela brigada de desminagem das Forças Armadas Angolanas (FAA), no quintal de uma residência, no bairro Kafitu, arredores da cidade de Ondjiva, Cunene.

Prosseguem campanhas de desminagem
Fotografia: Jornal de Angola

Um total de 45 engenhos explosivos não detonados foi removido na terça pela brigada de desminagem das Forças Armadas Angolanas (FAA), no quintal de uma residência, no bairro Kafitu, arredores da cidade de Ondjiva, Cunene.
O material foi descoberto pelo proprietário da residência quando efectuava uma escavação com o propósito de construir um tanque de água subterrâneo.
O comandante da brigada de desminagem, o tenente-coronel Jorge António “Jojó”, disse que fazem parte dos meios letais encontrados 19 projécteis de RPG-7, uma granada anti-tanque, 24 munições de AKM e um projéctil de B-10. Além disso, considerou que a área pode considerar-se suspeita, visto ter sido um lugar militar nos anos em que o país esteve em conflito.
Por isso, salientou que são necessários cuidados redobrados por parte das populações na escavação de qualquer tipo de buraco e, caso alguém note algum objecto estranho, deve comunicá-lo às autoridades para o devido tratamento.
O tenente-coronel explicou que a brigada vai traçar um programa para fazer uma vistoria no local e permitir a limpeza e desminagem de várias zonas.
Matias Wandalika, o proprietário da residência, frisou que os meios letais foram encontrados a uma distância de menos de meio metro de profundidade, quando se fazia a escavação do buraco. Antes da construção da sua residência naquele local havia, na zona, uma trincheira militar, garantiu, daí a importância das autoridades fazerem uma limpeza pormenorizada para determinar se ainda existem mais engenhos explosivos que possam pôr em perigo as pessoas que ali vivem.
Em 2007, no mesmo bairro, ocorreu um caso similar, quando se fazia uma escavação. Outro caso sucedeu no princípio deste ano, numa escola também localizada no bairro do Kafitu, onde foi encontrado um avião de guerra enterrado no recinto.

Tempo

Multimédia