Províncias

Vias degradadas geram protestos

Os taxistas que trabalham na estrada entre Ondjiva e Cuvelai, no norte da província do Cunene, numa distância de 170 quilómetros, manifestaram a sua insatisfação com o estado de degradação da via. Em declarações à nossa reportagem, António Zeferino, 54 anos, disse que o estado da estrada se agrava de dia para dia, sobretudo no troço que vai da comuna do Evale até à Mupa. 

Os taxistas que trabalham na estrada entre Ondjiva e Cuvelai, no norte da província do Cunene, numa distância de 170 quilómetros, manifestaram a sua insatisfação com o estado de degradação da via.
Em declarações à nossa reportagem, António Zeferino, 54 anos, condutor de um mini autocarro que faz serviço de passageiros entre Ondjiva e Cuvelai, disse o estado da estrada se agrava de dia para dia, sobretudo no troço que vai da comuna do Evale até à Mupa: “o estado da via causa grandes prejuízos nas viaturas e transtornos aos passageiros”.
António Zeferino lembrou que os utentes da via têm as suas taxas em dia pelo que solicitou às entidades competentes que reabilitem a estrada para garantir a circulação de pessoas e bens com segurança e conforto.
Os autocarros e camiões pesados têm sido os mais sacrificados. A situação tende piorar nos próximos tempos, devido às chuvas que se abatem sobre a região tornando as viagens mais difíceis e morosas.
Uma viagem de Ondjiva até ao Cuvelai, que antes demorava seis
Horas, nos últimos dias tem demorado mais de dez horas devido aos obstáculos na estrada.
Os passageiros dos táxis começam a enfrentar dificuldades devido à subida do preço das corridas. Os preços das passagens entre Ondjiva e o Cuvelai foram aumentados na semana passada. Entre Ondjiva e o Evale, um percurso de 66 quilómetros, antes custava 500.00 Kwanzas, agora custa entre 800 e 1.000.00 kwanzas,
De Ondjiva ao Cuvelai antes pagava-se 1.000 kwanzas e hoje o preço subiu para 1.500 kwanzas.
Os taxistas alegam como razão da subida do preço o mau estado da estrada associado ao aumento do preço do combustível. Os passageiros lamentam da posição dos taxistas porque estão a criar dificuldades numa altura em que as pessoas carecem de recursos financeiros, o que torna mais difícil viajar naquelas condições.

Tempo

Multimédia