Províncias

Vítimas realojadas até Dezembro

As vítima das cheias, concentradas nos centros de acolhimento em Ondjiva, capital da província do Cunene, serão  realojadas em zonas seguras até  Dezembro deste ano, afirmou sábado o governador provincial, António Didalelwa.

As vítima das cheias, concentradas nos centros de acolhimento em Ondjiva, capital da província do Cunene, serão  realojadas em zonas seguras até  Dezembro deste ano, afirmou sábado o governador provincial, António Didalelwa.
O governante, que falava no acto de abertura das jornadas alusivas aos 40 anos da província do Cunene, a assinalar-se a 10 deste mês, sublinhou que o executivo tudo fará para que, até Dezembro, os sinistrados estejam realojadas em Onahuma I e II, arredores de Ondjiva.
De acordo com o governador provincial, a zona já dispõe de condições, salientando que os trabalhos de loteamento tiveram início em Maio último e a entrega de terrenos à população vai começar com 600 metros quadrados cada.
Inicialmente, cada família vai receber chapas de zinco, para construção imediata de habitações provisórias e poderem assistir de perto ao evoluir dos trabalhos até à casa definitiva, precisou o dirigente.
Numa  primeira fase, as residências serão de baixa renda, do tipo “T2”, havendo comparticipação do Governo e do beneficiário, na edificação das mesmas.
Onahuma I dispõe de 843 lotes e, no quadro do programa, serão abertos poços de água e assegurados a iluminação pública nas principais vias de acesso à localidade.
Este programa vai beneficiar, inicialmente, mil e 600 famílias, compostas por 11 mil pessoas.
Este é o terceiro ano consecutivo que se registam cheias no Cunene e a Comissão de Protecção Civil teve um balanço geral de 23 mil e 699 pessoas afectadas. 

Tempo

Multimédia