Províncias

Cunene ganha 297 salas de aula

Domingos Calucipa

Um total de 297 salas de aula para o ensino primário e I ciclo do ensino secundário vão ser construídas até ao fim do corrente ano na província do Cunene, no quadro do Programa de Investimentos Públicos, com vista a redução do elevado número de crianças que se encontram fora do sistema de ensino.

Fotografia: Edições Novembro

O anúncio foi feito pela directora provincial da Educação durante um encontro com o secretário de Estado para o Ensino Pré-escolar e Geral, Joaquim Felisberto Cabral, que cumpre uma visita de trabalho de quatro dias à província. Durante o encontro, a directora provincial da Educação, Soraya Kalongela,  apresentou o actual estado do sector na região.
Soraya de Jesus Kalongela afirmou que vão ser construídas 13 escolas do ensino primário, perfazendo 67 salas de aula, igual número de escolas do I ciclo, que totalizam 230 salas, bem como uma escola de formação de professores, a ser erguida no município de Ombadja.
A responsável da Educação do Cunene anunciou igualmente a reabilitação do liceu de Ombadja, que se encontra em estado de degradação.
Soraya de Jesus Kalongela disse que ainda assim a província do Cunene vai assinalar um défice de 415 salas de aula para o ensino primário, de dez salas para o I ciclo e mais de 15 para o II ciclo do ensino secundário, tendo em atenção os mais de 31.600 alunos que se encontram fora do sistema de ensino e aprendizagem.
Soraya de Jesus Kalongela sublinhou que do número de alunos fora do sistema de ensino, por falta de salas, 29.848 são do ensino primá-rio, 651 do I ciclo e 1.806 do II ciclo, sendo o município do Cuanhama o que lidera a lista, com 11.107 alunos. O secretário de Estado do Ensino Pré-escolar e Geral reconheceu haver ainda no país sérios problemas no sector da Educação, pois muitas crianças estudam ainda em condições impróprias.
Joaquim Cabral pediu aos professores e direcções escolares para encararem a zona de influência pedagógica como um espaço para reflectir, corrigir as metodologias, montar estratégias e buscar boas práticas de ensino.
Joaquim Cabral, que se faz acompanhar dos directores-gerais do Instituto de Formação de Quadros da Educação, Isaac Paxe, e do Instituto Nacional de Educação Especial, Lucas Luciano, visita várias escolas nos municípios do Cuanhama, Cuvelai e Cahama e vai encontrar-se com os directores de escolas e coordenadores de turmas de várias instituições de ensino.

Tempo

Multimédia