Províncias

Defendida atenção à pessoa vulnerável

Adelaide Mualimusi | Ondjiva

O governador do Cunene, Kundi Paihama, defendeu sexta-feira, em Ondjiva, maior atenção à pessoa vulnerável, como forma de proporcionar igualdade de oportunidades entre os cidadãos.

Cunene traça estratégias para dar mais apoio aos vulneráveis
Fotografia: António Soares | Edições Novembro

Kundi Paihama falava durante a conferência provincial de acção social, que decorreu sob o lema “Acção social, prevenção, protecção e promoção”, promovida pelo Ministério da Assistência e Reinserção Social.
O governante pediu aos conferencistas para reflectirem sobre a necessidade de inclusão, enfatizando que “só uma sociedade inclusiva pode reunir as premissas necessárias para o progresso e desenvolvimento do país.”
O secretário de Estado para Reinserção Social, do Ministério da Assistência e Reinserção Social, Lúcio do Amaral, disse que, com a realização da conferência, se pretende contribuir para a melhoria da intervenção social, junto das famílias vulneráveis, através de novos modelos locais de intervenção social, na perspectiva da prevenção. Defendeu igualmente uma protecção e promoção que incluam o reforço dos mecanismos de coordenação e integração dos diferentes programas e projectos da acção social a nível da província e municípios.
O secretário do Estado realçou que todos devem comprometer-se com as questões da vulnerabilidade, da exclusão social e da pobreza, de forma a garantir à população mais carenciada o mínimo necessário à sua sobrevivência.
Lúcio do Amaral disse que o grupo alvo são todos aqueles que se encontram já em situação de vulnerabilidade, como crianças, idosos, pessoas com deficiência, ex-militares, vítimas de catástrofe, ex-reclusos e sem abrigo, entre outros. Acrescentou que o Ministério da Assistência e Reinserção  está a desenvolver um conjunto de medidas e políticas que reforçam o seu posicionamento institucional, no que diz respeito ao novo caminho da acção social.

Tempo

Multimédia