Províncias

Deficientes inseridos em vários projectos

José Chaves | Calussinga

O presidente da Associação Nacional de Deficientes Angolanos (ANDA), Silva Etiambulo, anunciou na comuna de Calussinga que mais de 10.320 portadores de deficiência foram inseridos no mercado de trabalho em todo o país, no âmbito do projecto “Vem comigo”, iniciado em 2003.

Portadores de deficiência têm beneficiado de vários apoios para a sua integração social
Fotografia: Jornal de Angola |

Silva Etiambulo, que falava na abertura da quinta fase do projecto, referiu que a ANDA aposta com sucesso num programa de formação profissional dos seus assistidos para o seu ingresso em cooperativas agrícolas, pesca artesanal e artes e ofícios, para a melhoria do nível de vida dos deficientes.
Com o programa em curso, disse, a ANDA pretende nesta fase identificar e criar mecanismos que permitam a reinserção dos beneficiários em cooperativas de produção, assim como a sua integração nos centros de reabilitação física. Destacou a aquisição de kits de recauchutagem, serralharia, barbearia, chaveiros e para outros ofícios como uma componente da consolidação do projecto de inserção dos assistidos da associação. O responsável disse ainda que ao longo da existência do projecto foi possível resolver inúmeras dificuldades que assolam as pessoas portadoras de deficiência e vítimas de guerra, sublinhando que a coordenação do projecto e a administração da Associação trabalharam na sensibilização dos beneficiários, para levá-los a deixar de “trocar a consciência pela deficiência”.
“Temos trabalhado no levantamento dos portadores de deficiência em todos os locais onde se encontram concentrados e na aquisição de meios de locomoção, materiais de produção e bens que permitiram o reassentamento em áreas de origem de pessoas recolhidas das ruas”, salientou Silva Etiambulo.
O projecto “Vem comigo”é financiado pelo Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, com supervisão da Fundação Lwini e sob coordenação da Associação Nacional de Deficientes Angolanos (ANDA).
Na comuna de Calussinga, a ANDA apoia 2.148 deficientes, inseridos na actividade agrícola.

Tempo

Multimédia