Províncias

Deficientes visuais têm ajuda financeira

João Silva | Dundo


Um grupo de 54 portadores de deficiências visuais, adquiridas durante o conflito armado, na província da Lunda Norte, beneficiou de um apoio financeiro avaliado em 150 mil kwanzas para cada um, gesto protagonizado sexta-feira, no Dundo, pela Associação Angolana de Cegos e Amblíopes de Guerra.

Os valores vão servir para que os beneficiários possam investir em pequenos negócios e empreendimentos comerciais, no quadro do projecto “Alfa Braile” e de um programa de gestão de negócios em curso no país.
O director provincial da Assistência e Reinserção Social, Wilson Palanca, disse que, apesar da difícil conjuntura económica e financeira que o país atravessa, é possível prestar apoios aos grupos vulneráveis, como é o caso do projecto da Associação Angolana de Cegos, para permitir que os mesmos se reintegrem na sociedade.
Considerou a ajuda como uma forma de fazer com que os beneficiários deixem de ser mendigos e passem a ter possibilidade de criar a sua própria renda, através desses projectos. “Este projecto é bastante dignificante para a vida desta camada social”, reforçou.
Wilson Palanca garantiu que os apoios aos grupos vulneráveis vão continuar a ser dados, principalmente aos antigos combatentes e deficientes de guerra. Apelou aos beneficiários para aplicarem os valores monetários em bons negócios. 

Tempo

Multimédia