Províncias

Degradação da estrada atrapalha população

Quinito Kanhameni | Ondjiva

O avançado estado de degradação da estrada que liga Ondjiva à comuna do Evale, município do Cuanhama, num percurso de 66 quilómetros, está a dificultar as trocas comerciais entre as duas localidades, lamentaram os agricultores locais.

Os camponeses referiram que os automobilistas reclamam muito pelo estado em que se encontra a via, razão pela qual cria embaraço ao escoamento de produtos.
A estrada nunca foi asfaltada, beneficiando apenas de alguns trabalhos paliativos, com destaque para os de tapa buracos, intervenções que não resolvem as condições de circulação, principalmente nesta época chuvosa, em que o cenário é horrível.
Nos últimos dias, a deslocação só é possível através de viaturas todo-o-terreno, devido à configuração pantanosa e às lagoas que circundam a localidade, situação que danifica as viaturas que ali circulam com frequência.
O automobilista João Neves disse que os trabalhos paliativos no troço Ondjiva-Evale devem continuar, no mínimo, para resolver as consequências das últimas chuvas e facilitar a circulação, enquanto se aguarda uma intervenção definitiva. A entrada da sede comunal do Evale é considerada a zona de mais difícil acesso, devido à sua característica lamacenta, impedindo a transição normal de viaturas, principalmente as ligeiras.
Apesar das chuvas piorarem as condições do troço entre as duas localidades, para os trabalhadores agrícolas do município do Cuanhama elas são motivadoras.
O camponês Háimbodi Hatenya disse que se continuar a cair chuva até finais de Março, pode ter-se uma boa colheita de produtos como massango e massambala, nesta campanha agrícola.

Tempo

Multimédia