Províncias

Dembos aposta na produção agrícola

Alfredo Ferreira | Damba

A Administração Municipal dos Dembos está a redobrar, nos últimos tempos, as estratégias de intervenção a nível do sector da Agricultura, com vista a acelerar o combate à fome e à pobreza naquela parcela da província do Bengo.

Agricultores recebem do governo provincial sementes e instrumentos de trabalho para aumentarem a produção nas comunidades
Fotografia: Edmundo Eucílio

O administrador municipal dos Dembos, Augusto João, referiu, ontem, que a localidade, com 95 anos de existência, tem um potencial no fornecimento de produtos agrícolas como banana, café, milho, batata, jinguba e mandioca, que servem de fonte de riqueza e de melhoria da dieta alimentar das populações da região.
Augusto João defendeu, por isso, uma maior aposta na agricultura, criando condições de trabalho para os camponeses organizados em cooperativas e não só, no sentido de intensificar-se também a agricultura familiar.
O administrador municipal defendeu a necessidade de a população camponesa aproveitar os solos aráveis existentes, de forma a aumentar a produção e garantir o auto-sustento das famílias no combate à fome e à pobreza.
O responsável reconheceu que os camponeses associados e isolados encontram inúmeras dificuldades na aquisição de fertilizantes e meios de trabalho, para o fomento da agricultura.
Pelo facto, o administrador disse que há necessidade de todos se juntarem à causa, para contribuírem para a renda das famílias e para a diversificação da economia, com o objectivo de a localidade voltar a produzir também café e madeira em grande escala. No quadro desta estratégia, as autoridades estão a contar com os préstimos da fazenda Kamaia, que colheu no primeiro semestre deste ano 1.400 toneladas de café mabuba e 100 de banana-pão.
O gerente da fazenda, José Santareno, sublinhou que a colheita se deve aos sérios investimentos feitos em prol da revitalização da produção do café. />O fazendeiro explicou que a fazenda produz café numa área de cerca de 45 hectares, comercializado no mercado municipal dos Dembos e nos Kwanzas, Kicolo e 30, estes três últimos da província de Luanda, a 120  e a 160 kwanzas o quilo.
José Santareno adiantou que as principais dificuldades com que se debatem os camponeses afectos à fazenda têm a ver, principalmente, com a falta de transporte, para escoar os produtos do campo para a cidade, e de um tractor para desmatar a zona.
Referiu que, além da plantação de café, a fazenda produz, igualmente, cana-de-açúcar, citrinos, mandioca, abacaxi e abóbora, numa altura em que a mesma necessita de sementes de couve, para diversificar a produção.
 
Investir no café

O administrador municipal dos Dembos apelou aos empresários locais e nacionais para investirem no café, visando incentivar a produção, que constitui outra fonte de arrecadação de receitas. Para ajudar os agricultores a fomentarem a agricultura familiar e em grande escala, Augusto João considera necessária a presença de mais agências bancárias na localidade.
O surgimento destes serviços vai garantir aos funcionários públicos e privados outras opções para a recepção dos seus ordenados e os empresários vão poder obter créditos agrícolas, para a aquisição de vários produtos.
Segundo o administrador dos Dembos, na região estão em cursos diversas acções de impacto social, para melhorar a qualidade de vida da população.

Tempo

Multimédia