Províncias

Denunciada a reexportação de comida

Lourenço Bule e Nicolau Vasco | Menongue

Alguns comerciantes dos municípios do Calai e do Cuangar, na província do Cuando Cubango, estão a reexportar clandestinamente os produtos principais que constituem a cesta básica para a vizinha República da Namíbia, denunciou quinta-feira, ao Jornal de Angola, em Menongue, o director provincial do Comércio, Hotelaria e Turismo.

Autoridades apertam o cerco para evitar o aumento de preços dos bens da cesta básica
Fotografia: Domingos Cadência

Israel Dala disse que os produtos da cesta básica são reexportados através das localidades namibianas do Rundu e Nkurinkuri e acrescentou que dentro de dias uma equipa multi-sectorial de inspecção, composta por técnicos do Comércio, Finanças, Gabinete de Estudo e Planeamento do Governo do Cuando Cubango, INADEC e Serviço de Investigação Criminal (SIC), vai trabalhar nos municípios do Calai e Cuangar para estancar a situação.
“A equipa multi-sectorial está a trabalhar afincadamente para combater a reexportação que se tem verificado nessas regiões”, sublinhou, acrescentando que uma das principais apostas do sector é  normalizar os preços dos produtos da cesta básica.
Com as inspecções aos comerciantes grossistas já é notória uma ligeira redução nos estabelecimentos comerciais e mercados informais, dos preços dos produtos da cesta básica.  “Através das facturas de aquisição temos confrontado os preços de venda dos produtos da cesta básica com os de compra noutros estabelecimentos comerciais e não existem motivos para a especulação”, disse.
Israel Dala esclareceu que já foi feita inspecção em estabelecimentos comerciais de Menongue, Cuchi e Cuito Cuanavale e que o trabalho prossegue nos restantes municípios para regular os preços dos produtos em toda a extensão da província do Cuando Cubango.
“Depois da conclusão deste trabalho vamos reunir com todos os comerciantes para que possamos achar um denominador comum e estipularmos um único preço para cada produto alimentar”, disse, apelando à participação da população na denúncia de comerciantes que pratiquem preços especulativos dos produtos alimentares.

Doenças tropicais

Alunos das escolas do ensino primário dos municípios de Menongue, Cuchi, Cuito Cuanavale e Cuangar, no Cuando Cubango, são vacinados, de 14 a 18 deste mês, contra doenças tropicais negligenciadas, no âmbito de uma campanha de desparasitação escolar.
Para o êxito da campanha, a Direcção Provincial da Saúde promove, desde quinta-feira, seminários de capacitação dos técnicos dos municípios, numa acção que conta com a parceria da Organização Não Governamental “The Mentor Initiative”. O director da Saúde, Fernando Cassanga, explicou que, numa primeira fase, para cada um dos municípios são formados dois técnicos de saúde.
Estão a ser ministradas matérias ligadas à importância da desparasitação intestinal, métodos de prevenção das parasitoses intestinais, técnicas de desparasitação com albendazol e praziquantel, efeitos adversos do praziquantel, monitorização e avaliação da campanha, bem como remessas dos relatórios. A campanha realiza-se pela primeira vez na província e constitui uma prioridade do programa do Executivo para a extinção das doenças tropicais negligenciadas, que afectam, principalmente, as crianças e jovens nas zonas rurais e pré-urbanas, devido às débeis condições de higiene.
O representante da Direcção Provincial do Cuando Cubango da Educação, Miguel Lutonda, referiu que “o professor, como mentor da transmissão do saber multifacético, não deve estar alheio às diferentes realidades que podem afectar o meio que o rodeia” e apelou, por isso, aos participantes maior atenção às matérias, para se alcançarem os resultados preconizados.

Tempo

Multimédia