Províncias

Detidos 288 cidadãos no fim-de-semana

André da Costa

Durante o último final de semana, ocorreram em todo o país, um total de 338 crimes de natureza diversa que levaram a detenção pelas diversas forças operativas da Polícia Nacional de  288 cidadãos. 

Polícia Nacional teve tarefa redobrada durante o último fim-de-semana em todo o país
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

Sábado ocorreram 164 crimes no país, tendo sido esclarecido 136 e detidos 156 elementos. No domingo, foram registados 174 crimes, dos quais 126 foram esclarecidos e detidos 123.
As províncias de Luanda, Benguela, Huíla, Huambo, Bié e Malanje, foram as que mais crimes registaram, disse ao Jornal de Angola fonte do Comando Geral da Polícia Nacional, durante a apresentação do balanço da situação operativa desencadeada no fim de semana. 
Em  Luanda, um cidadão identificado, de 38 anos de idade, segurança, está detido por supostamente ter disparado mortalmente contra o seu colega de serviço que em vida respondia pelo nome de Roberto Saldanha, 50 anos, devido a desentendimentos entre ambos.
De acordo com a Polícia Nacional, o caso teve lugar no sábado, por volta das 14H00, no Distrito Urbano do Seque-le, bairro Maié-Maié, município de Cacuaco, província de Luanda.
Segundo a Polícia Nacional, a triste ocorrência teve lugar quando a vítima, dirigiu-se para o serviço, no sentido de render o acusado, que na altura, encontrava-se supostamente em estado de embriaguez.
Ambos desentenderam-se, tendo a vítima desferido duas bofetadas na cara do colega, e, em resposta, este, efectuou um disparo que atingiu no membro superior esquerdo, conhecendo a  morte, minutos depois, já a caminho do hospital. Outro caso de morte, ocorreu na província de Malanje, quando, um cidadão, identificado, de 29 anos, matou o próprio amigo, José Fernandes, de 30 anos, com um disparo de arma de fogo que atingiu a região do abdómem.
A Polícia Nacional afirmou que o caso ocorreu no município de Quirima, província de Malanje, onde os dois amigos foram caçar. No meio da mata, cada um foi para um lado, procurar por animal e, momento depois, o caçador confundiu o companheiro José Fernandes com um animal, tendo feito um disparo que provocou a sua morte imediata.
A Polícia Nacional deteve dois jovens com idades compreendidas entre  21 e 24 anos, por estarem a circular com uma arma de fogo, do tipo AKM, cano cortado, na via pública.
O caso aconteceu às 16H00, distrito urbano do Baia, município de Viana. Uma patrulha surpreendeu os dois jovens, que durante a revista, foi en-contrada a arma de fogo. A corporação explicou que eles tinham intenção de assaltar transeuntes.

Violações
Um homem, identificado, de 67 anos, foi preso sábado acusado de ter abusado sexualmente uma menor de 11 anos, município de Maquela do Zombo, Bairro Marier-Nguabí, província do Uíge.   
Outro caso aconteceu na madrugada de domingo, na mesma província, quando um cidadão, identificado, de 25 anos, abusou sexualmente a própria prima de 14 anos, que sofre de perturbações mentais, aproveitando quando os familiares se encontravam a dormir.
Na província da Huíla, a Polícia Nacional, deteve um cidadão de 62 anos, por ter abusado sexualmente uma idosa de 75 anos, numa residência quando ambos se encontravam a consumir bebidas alcoólicas.  
A violação ocorreu por volta da meia-noite no município da Jamba, bairro Mu-cuio, quando o suposto violador, aproveitou o facto de a idosa apresentar sinais de embriagues e consumou o acto. Inconformada, a idosa, em companhia de alguns familiares, apresentaram queixa-crime que culminou com a detenção do suposto violador. 
 
Roubos de valores
Dois cidadãos em fuga, roubaram no sábado, no bairro do Palanca, em Luanda, uma pasta do cidadão Estevão Manuel, com um milhão e 350 mil kwanzas.
Para concretizarem o acto, os supostos meliantes, se fizeram transportar num motociclo de marca Lingken, preta, sem matrícula, e sob ameaça com arma de fogo, receberam a pasta.
O ofendido, identificado por Estevão Manuel, 35 anos de idade, regressava de um armazém, no Palanca e, foi surpreendido na via pública pelos marginais que levaram o dinheiro.

Tempo

Multimédia