Províncias

Dezenas de bois morrem por falta de vacinação

Justino Victoriano | Huambo

Pelo menos, 36 cabeças de gado bovino morreram, desde o início do ano, na comuna da Chipipa, município do Huambo, vítimas de peripneumonia e carbúnculo hemático sintomático, informou ontem ao Jornal de Angola o administrador comunal, Domingos Bonifácio.

Apesar das campanhas de vacinação o gado no Huambo é assolado por várias doenças
Fotografia: Edições Novembro

O responsável disse que o elevado número de mortes do gado deve-se, essencialmente, ao facto de alguns criadores não permitirem que os seus animais sejam vacinados, apesar de as autoridades veterinárias estarem a implementar campanhas de vacinação sistemáticas. 

“A vacinação, por ser uma medida de prevenção de doenças mais comuns entre os bovinos, é praticamente gratuita, mas, ainda assim, alguns criadores furtam-se a esta iniciativa do Serviço Veterinário e não permitem que o seu gado seja vacinado”, disse Domingos Bonifácio.
A situação, de acordo com o administrador, tem estado a preocupar a população, em virtude de a maior parte delas dedicar-se à actividade de criação de gado, pois a agropecuária constitui a principal fonte de sustento das famílias locais, seguida da caça.
A população da Chipipa é maioritariamente camponesa e utiliza o gado bovino para o cultivo. Muitos criadores não possuem recursos financeiros para cuidarem de animais que, eventualmente, contraiam doenças. “Alguns criadores, por falta de verbas, solicitaram a intervenção do Departamento Provincial de Veterinária, para os apoiar no tratamento dos seus animais que estão doentes”, informou o administrador.
Na última safra, segundo dados fornecidos pela Repartição da Agricultura local, foram colhidas centenas de toneladas de milho, batata-rena, doce, feijão, mandioca, soja, banana e hortícolas. A nível da pecuária, houve um registo assinalável no que toca ao aumento da criação de animais de pequeno e grande porte.
Actualmente, existem na localidade 71 fazendas, das quais 56 estão em funcionamento e 15 paralisadas. Deste número, constam duas cooperativas e 35 associações de camponeses, que contam com o auxílio do Governo Provincial.
O sector do comércio rural, segundo o administrador, tem merecido a “atenção especial” das autoridades comunais, “como forma de incentivar a produção local.” A comuna conta com dezoito estabelecimentos comerciais que garantem o fornecimento de bens de primeira necessidade aos habitantes, cujos produtos são adquiridos nos agentes grossistas da província e da capital do país.
No sector madeireiro, a comuna conta com duas empresas, nomeadamente Serração Madeira e Pedreira da Cuca, uma vocacionada para a serração e outra para a transformação.
A comuna da Chipipa tem 39.229 habitantes, destribuidos por 9.502 famílias.

Tempo

Multimédia