Províncias

Directores solicitam mais segurança

Weza Pascoal | Menongue

Responsáveis das escolas do primeiro e segundo ciclo do ensino secundário do município de Menongue, na província do Cuando Cubango, solicitaram ao Comando Provincial da Polícia Nacional a criação de brigadas de vigilância e protecção nas escolas, tendo em conta os crimes e actos de vandalismo cometidos diariamente nestes locais, muitos dos quais pelos próprios alunos.

Fotografia: JAIMAGENS | Edições Novembro

A preocupação foi manifestada durante um encontro entre os directores e subdirectores das escolas e os órgãos do comando provincial da Polícia Nacional, que serviu para auscultar preocupações e criar estratégias para estancar todas as formas de crimes, que acontecem nestes locais de ensino e como prevenir os acidentes de viação, sobretudo naquelas escolas que se encontram próximo das estradas.
O director do Instituto Médio de Administração e Gestão 23 de Março disse que os crimes acontecem principalmente quando os alunos encontram-se sob o efeito de bebidas alcoólicas e de drogas. Recentemente, acrescentou, presenciou uma rixa entre dois alunos, durante a qual um deles teve ferimentos ligeiros.
Adiantou que durante a briga só não aconteceu o pior, graças a intervenção dos colegas, que apaziguaram a situação, e os dois alunos ficaram suspensos durante um curto período, como medida cautelar, depois de um encontro entre a direcção da escola e os respectivos encarregados de educação.
Segundo o porta-voz da Polícia Nacional do Cuando Cubango, António Maria, o comando provincial vai avaliar a segurança nas escolas, de forma a responder à criminalidade com medidas activas. Acrescentou que a polícia vai trabalhar no sentido de garantir um sistema de protecção e vigilância nas escolas, que vai contar com o apoio dos efectivos dos Serviços de Investigação Criminal (SIC), destacados em diferentes bairros da cidade, Polícia de Intervenção Rápida e de Prevenção Rodoviária.
O comando provincial da Polícia Nacional forneceu aos responsáveis dos estabelecimentos de ensino números telefónicos para a notificação das ocorrências e garantiu ajudar no treinamento de grupos de vigilância formados pelos próprios alunos, no sentido de ajudarem a prevenir a criminalidade nas escolas.
Frisou que a Polícia Nacional está a redobrar esforços no sentido de dar combate cerrado à criminalidade na província, sobretudo na sua capital, Menongue, onde, nos últimos meses, têm acontecido vários crimes violentos, com realce para os casos de homicídios, roubo e violação de mulheres e crianças.
António Maria lembrou que no primeiro trimestre do corrente ano, a Polícia Nacional desmantelou um grupo de 27 meninas, com idades compreendidas entre os 12 e 17 anos, que se dedicavam ao consumo de bebidas alcoólicas, uso de estupefacientes e à prostituição.
Por este motivo, apelou aos pais e encarregados de educação para trabalharem em conjunto com a Polícia Nacional, para que haja uma interacção coordenada, no âmbito da repreensão e prevenção de casos que envolvem principalmente menores de idade. Apelou ainda a juventude a abster-se de comportamentos e práticas que colocam em risco a vida das pessoas e que adiram a tarefas socialmente úteis.

Formação de professores

Um grupo de 720 professores do ensino primário de todas as zonas de influência pedagógica (ZIP) da província do Cuando Cubango participam, na cidade de Menongue, numa acção formativa em Língua Portuguesa e Matemática, no âmbito do Projecto de Aprendizagem para Todos (PAT).
A acção formativa, que decorre durante dez dias, tem como objectivo melhorar os conhecimentos e as competências dos professores do ensino primário de modo a colmatar as dificuldades nas disciplinas de Língua Portuguesa e de Matemática.
O  programa, criado pelo Ministério da Educação e financiado pelo Banco Mundial, visa  a melhoria da gestão das escolas nas áreas designadas pelo projecto e desenvolver um sistema de avaliação sistemática aos alunos em todo o território nacional.
O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Miguel Canhime, frisou que a formação  supre as dificuldades e regula o processo de ensino. “É através dos seminários de refrescamento que os professores podem adquirir técnicas que ajudem a melhorar as dificuldades que se colocam no processo de ensino e aprendizagem a nível do Cuando Cubango.”
Miguel Canhime referiu  que, com a formação, que decorre em simultâneo em todo o país, o Ministério da Educação pretende formar 15 mil professores, numa primeira fase.

Tempo

Multimédia