Províncias

Discutida estratégia para recolha do lixo

Luísa Victoriano | Malanje

Autoridades ligadas à recolha e tratamento do lixo na cidade de Malanje, estiveram reunidas para encontrar as melhores fórmulas para o bom andamento deste processo.

Autoridades ligadas à recolha e tratamento do lixo na cidade de Malanje, estiveram reunidas para encontrar as melhores fórmulas para o bom andamento deste processo.
Fotografia: Adriano Sapalo| Edição Novembro

O director provincial do Ambiente, Gestão de Resíduos e Serviços Comunitários, José Neves, que orientou o encontro, defendeu o recrutamento de entidades privadas para a recolha e tratamento dos resíduos sólidos na província.
José Neves disse que devem ser encontrados mecanismos para evitar a poluição dos solos, promover o tratamento das águas residuais e de outros males que comprometem a sustentabilidade do meio ambiente.
O responsável frisou que deve ser criada uma lei para regular a gestão de resíduos sólidos, de modo a que as entidades envolvidas neste processo cumpram rigorosamente com as suas obrigações. Quanto às questões ambientais, José Neves disse que está em curso um programa de educação que visa explicar as medidas que devem ser adoptadas pelo cidadão para proteger o meio ambiente.
A primeira fase do programa arrancou nos bairros da Carreira de Tiro, Canâmbua e Ritondo.
O ambientalista Edgar Ndala, na sua dissertação sobre o pacote legislativo do meio ambiente e a gestão dos resíduos sólidos, manifestou preocupação com o aglomerado de lixo em várias artérias da cidade de Malanje.
“É necessário promover acções de sensibilização para que os habitantes de Malanje depositem o lixo nos sítios adequados, de modo a evitar constrangimentos para as empresas contratadas para esse fim”, disse .
Paulo Jorge, outro ambientalista que abordou o tema “Responsabilidades por Danos Ambientais”, disse que numa primeira fase, deve ser feita uma incursão ao programa legislativo sobre a matéria.
“A actividade ambiental em Angola deve ser regulada por um conjunto de leis, de modo a que pessoas singulares e colectivas sejam responsabilizadas por danos causados pela poluição”, disse.

Tempo

Multimédia