Províncias

Distribuídas centenas de redes mosquiteiras no Huambo

Cento e 26 mil redes mosquiteiras tratadas com insecticida de longa duração foram distribuídas, de Janeiro a Maio deste ano, nos onze municípios do Huambo, numa iniciativa do Programa de Combate à Malária, da Direcção provincial da Saúde.

 

Cento e 26 mil redes mosquiteiras tratadas com insecticida de longa duração foram distribuídas, de Janeiro a Maio deste ano, nos onze municípios do Huambo, numa iniciativa do Programa de Combate à Malária, da Direcção provincial da Saúde.
A informação foi prestada ontem à Angop pelo supervisor do referido programa, Amândio Natito, tendo referido que mais de metade desta cifra foi distribuída às mulheres grávidas que se deslocaram às unidades sanitárias para realizarem consultas pré-natal.
Afirmou que além de mulheres grávidas, as redes mosquiteiras foram também distribuídas nas zonas rurais onde não existem unidades hospitalares, com o propósito de se diminuir a incidência da malária nas crianças e adultos.
Disse que cada uma das famílias residentes nestas localidades recebeu duas redes mosquiteiras.
Sublinhou que além da entrega de mosquiteiros tratados, os serviços de saúde têm distribuído, de forma grátis, coarctem, um fármaco como dose única na terapia da malária, facilitando o acesso ao tratamento.
Embora não tenha apresentado dados estatísticos, Amândio Natito reconheceu haver uma diminuição de 5 por cento em relação aos óbitos que ocorrem nas unidades sanitárias resultante da malária.
O supervisor do programa de combate à malária no Huambo realçou que todos os hospitais, centros e postos de saúde desta província possuem redes mosquiteiras para distribuir às populações, além de testes rápidos para diagnosticar a malária e fármacos para curar a doença.
“Fruto das acções que temos vindo a desenvolver, estamos em condições de assumir que entramos para a fase de controlo da doença e não propriamente na de combate, que já a ultrapassamos”, referiu.

Tempo

Multimédia