Províncias

Doença causa vítimas mortais em muitas famílias

Pelo menos, seis pessoas morreram em 2016 no município do Moxico, vítimas de raiva, mais duas em relação ao igual período de 2015, informou terça-feira, no Luena, o director municipal da Saúde.

Carlos dos Santos Paulo, que falava da situação sanitária no município, disse que as seis mortes resultaram de 116 casos de mordeduras causadas por animais de estimação.
O responsável disse que a situação da raiva originada pela mordedura de cães, gatos e macacos preocupa os profissionais da Saúde, a julgar pelo aumento exponencial destes animais que deambulam pelas ruas da cidade do Luena e não só.
Para reduzir eventuais casos de mordedura de animais de estimação, o responsável da saúde disse que já foram feitos contactos com os técnicos da Direcção Provincial da Agricultura, no sentido de rever-se a situação de vacinação dos animais, em função da insuficiência de vacinas.
A par disso, referiu ainda que, durante o primeiro  trimestre de 2017, o município registou como doenças mais frequentes a malária, respiratórias e diarreicas agudas, afectando, principalmente, crianças menores de cinco anos, bem como o aumento de casos de tuberculose pulmonar, hipertensão arterial e VIH/Sida, sem causar vítimas humanas.
Com 41 unidades sanitárias, das quais oito centros de saúde, 32 postos e um hospital municipal, o município sede (Moxico) conta com 380 funcionários, dos quais oito médicos especializados e 97 técnicos de saúde.

Tempo

Multimédia