Províncias

Doença continua a aumentar entre a população prisional

Os participantes ao Conselho Consultivo da Direcção Provincial da Saúde, realizado no município da Catumbela, de 31 de Maio a 3 deste mês, mostraram-se preocupados com o crescente aumento de casos de tuberculose entre a população prisional.

Comarca de Viana
Fotografia: Jaimagens

O comunicado final, lido pelo porta-voz do Conselho, Aldemiro Cussivila, revela que     para combater a doença devem ser tomadas medidas operativas previstas no programa contra a tuberculose.
Os participantes reconheceram que as repartições municipais e unidades hospitalares enfrentam dificuldades em incrementar os Programas de Saúde Pública, particularmente contra a Malária, Tuberculose, VIH-Sida, Saúde Sexual e Reprodutiva e PAV, por razões de escassez de meios financeiros.
Os participantes concluíram  que os funcionários do sector atingiram um cumprimento de 69 por cento das recomendações do último conselho, segundo as quais, devido à redução do pessoal técnico expatriado, deve haver maior envolvimento e desempenho dos profissionais do sector.
“Promover junto dos Serviços de Farmácia das Unidades Sanitárias as boas práticas de gestão de medicamentos, incentivar as melhores práticas de gestão financeira no sentido de obter melhores resultados com poucos recursos, promover e fomentar, permanentemente, a formação dos quadros nacionais para garantir as suas competências técnicas”, foram outras conclusões do encontro.
O conselho louvou, com satisfação, os resultados do processo de formação do Hospital Geral de Benguela e da Escola Técnica de Formação de Saúde local, e recomendou às instituições sanitárias o correcto registo dos doentes com perturbação mental, para melhor dimensionamento do problema e orientação sobre a real necessidade de se projectar um Hospital Psiquiátrico de referência para a Província de Benguela.
O encontro revelou os resultados do Concurso Público de admissões no ano 2016, que registou o ingresso de 177 novos agentes.
No que toca ao concurso público de admissão de médicos no ano 2017, conduzido a nível central, e a colocação dos médicos admitidos sob a responsabilidade do Ministério da Saúde, registou-se a admissão de 84 novos agentes, distribuídos por municípios, de acordo com o critério do rácio de um médico por dez mil habitantes.
A sessão de encerramento foi presidida pelo director provincial da Saúde, Barnabé Lemos, que teceu  considerações sobre a situação actual do sector da Saúde na província de Benguela, realçando a questão das escolas privadas de formação de técnicos de saúde que não cumpriram a orientação sobre a quota de admissões no presente ano lectivo e que devem ser responsabilizadas.
Barnabé Lemos pediu o envolvimento de todos na prestação de cuidados à população e que os gestores acompanhem a implementação das recomendações saídas do Conselho Consultivo.

Tempo

Multimédia