Províncias

Doenças passam a ser dignosticadas na região

Venâncio Victor e Eduardo cunha | Malanje

As doenças de fórum psíquico na província de Malanje passam a ser diagnosticadas com maior rigor, com o lançamento da segunda edição da revista de “Psicolos de Angola”, cuja finalidade assenta na prevenção desta patologia no seio dos habitantes.

Falta de apoio a pessoas com perturbação mental faz com que muitos doentes se percam
Fotografia: Santos Pedro | Edições Novembro

O psicólogo Catarino Luamba, que fez a apresentação da revista sob o lema “ Papel da Piscologia e Lugar do psicologo nas instituições”, realçou o facto da existência de cursos superiores de psicologia em Malanje, como estando na base da realização da actividade na província.
O também coordenador nacional da revista “Psicologos de Angola”Catarino Luanba sublinhou que o documento aborda a dimensão da saúde mental e de vários comportamentos dos indivíduos,  na sua interacção com o meio e a sociedade, e visa a prevenção de doenças mentais.
De acordo com o responsável, a revista passa a ser produzida num período de dois em dois messes e aborda vários temas ligado à saúde mental e, neste  contexto, reiterou a sua aposta numa maior divulgação de factos de índole psicológicos.
Catarino Luamba explicou que nesta segunda edição,  aborda-se principalmente o problema da depressão que assola o mundo, referindo que a  terceira irá se basear nas dificuldades em torno das aprendizagens,  e a quarta vai referir-se aos crimes.
“Pretendemos, com isso, transmitir a sociedade vários métodos preventivos, uma vez que neste  livro abordamos a saúde mental e como a sociedade se deve prevenir de futuras doenças mentais. Existem pessoas que já tinham um problema, mas não souberam aonde encontrar uma ajuda. Portanto, com esta revista já será possível ver parte dos problemas resolvidos”, explicou.
Em Malanje, a revista de “Psicólogos de Angola”, que contem 78 páginas, está a ser vendido a dois mil kwanzas e pode ser adquiridas no Instituto Superior Politécnico. Em relação ao custo do livro, Catarino Luamba acredita que pode vir a baixar  de dois mil kwanzas para 700, para permitir que mais pessoas tenha acesso as informações contida na revista, para uma melhor prevenção de patologias psíquicas.

Psico-social às vitimas

O lançamento da revista esteve enquadrado num colóquio sobre a “Importância da Psicologia nas Instituições”, durante o qual foram abordados aspectos ligados a profissão de psicólogo, estado da saúde mental em Malanje, interacção e actuação do psicólogo, expectativas profissionais do estudante de psicologia e intervenção do psicólogo em pacientes deprimidos com HIV- SIDA.
Os participantes abordaram igualmente aspectos que têm a ver com a actuação e perfil do psicólogo, papel do psicólogo na sociedade, desafios da psicologia organizacional, entre outros.
De acordo com o director da Saúde, Avantino Sebastião, os problemas ligados a saúde mental se consubstanciam  por perturbações psíquicas e clínicas na redução do estado emotivo das pessoas, bem como em torno do comportamento de cada sujeito, que reflecte uma difusão dos processos psicólogos biológicos ou de desenvolvimento humano.
Avantino Sebastião defendeu a necessidade do aconselhamento psico-social e sociológico das pessoas com perturbações mentais  e que se reflectem  negativamente na tomada de decisões, confrontos entre pessoas, fracas relações interpessoais, auto conhecimento, autonomia pessoal, entre outros comportamentos mentais.
“A falta de apoio psico-social faz com que muitos desistam dos seus sonhos a nível das instituições, porque muitos ainda têm a ideia de que acreditam que só as pessoas  com princípios de loucura devem consultar um psicólogos”, afirmou .

Tempo

Multimédia