Províncias

Educação busca soluções para problemas do sector

Jesus Silva | Lobito

Os problemas relacionados com o sistema de ensino e aprendizagem nos diferentes níveis de escolaridade a nível da província de Benguela vão conhecer soluções mais eficazes, em breve, quando forem aplicados conhecimentos discutidos nas jornadas científico-pedagógicas da educação, edição 2016.

Problemas relacionados com o sistema de ensino e aprendizagem nos diferentes níveis de escolaridade podem ser minimizados em breve
Fotografia: Nilo Mateus

As jornadas, realizadas pela Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, em colaboração com o Instituto Superior de Ciências da Educação (Isced), visam promover a cooperação, intercâmbio de experiências, práticas sustentáveis e transferência de conhecimentos entre docentes.
Sob o lema “Pela qualificação do professor, rumo ao desenvolvimento sustentável de Angola”, investigadores (profissionais ligados à Educação e a outras áreas do saber), estudantes e sociedade civil reuniram  para dar resposta à necessidade de contribuir-se para o desenvolvimento educativo, social e participativo sobre a base do crescimento económico sustentável numa perspectiva local.
Na actividade, defendeu-se a necessidade de intercâmbio entre os profissionais do sector e de encontrar vias para a introdução de resultados científico-pedagógicos com um carácter territorial e integral, que sejam concebidos com flexibilidade para responder às necessidades, prioridades e particularidades de Benguela.
As jornadas foram organizadas por áreas temáticas relacionadas com a “Formação de professores e processo educacional”, “Avaliação das aprendizagens e avaliação institucional” e “Trilogia: escola, família e comunidade, com o objectivo de dar visibilidade aos aspectos contemporâneos relacionados com a actuação dos profissionais da Educação”. Os participantes abordaram ainda temas que têm a ver com os “Desafios actuais na área educacional manifestados no quotidiano escolar benguelense”, “Partilha de diferentes concepções científicas que se ocupam de estudos e pesquisas sobre a Educação”, “Gestão educativa” e “Análise e desenvolvimento de linhas de orientação curricular inovadoras”.
O director provincial em exercício da Educação, em Benguela, Adelino Sessa, referiu que as jornadas científicas vão responder às preocupações legítimas da problemática do sector na província, daí acreditar que os mesmos vão produzir resultados que mudarão o paradigma de gestão e desenvolvimento comunitário.
Adelino Sessa explicou que as jornadas científico-pedagógicas servem para sensibilizar a população académica sobre o impacto da investigação científica e transferir conhecimentos sobre o trabalho de várias matérias de ensino para a sociedade.
O director considerou que o sector da Educação, assim como o Isced/Benguela se têm empenhado na formação de técnicos cada vez mais qualificados, bem como na implementação de programas curriculares e de avaliação académica eficazes.
Apesar destes avanços, disse que ainda há muitos aspectos que devem ser melhorados, razão pela qual as duas instituições vão continuar de mãos dadas na aposta de um trabalho de excelência, ultrapassando os eventuais desafios que surgirem.
Este trabalho, salientou Adelino Sessa, é uma tarefa entregue às cátedras, às zonas de influência pedagógica, onde os professores devem cultivar o espírito de investigação e partilha reiterada de conhecimentos.
O responsável  provincial da Educação em Benguela afirmou que “os professores não devem investigar apenas quando estão em fase de preparação das monografias ou outros trabalhos de fim de curso, uma vez que a investigação é contínua e deve servir para a melhoria das suas aulas.”

Tempo

Multimédia