Províncias

Educação cria rede de prevenção de doenças

Casimiro José | Sumbe

Uma rede provincial de prevenção de endemias vai ser criada em breve, no Cuanza Sul, por um grupo de directores da Educação e de escolas dos 12 municípios da região, anunciou ontem, no Sumbe, o director provincial do sector.

Estão em curso diversas acções que visam combater a discriminação dos seropositivos
Fotografia: Eduardo Pedro

Francisco de Figueiredo Júnior disse que, para a criação da rede, os gestores de direcções da Educação e de escolas participam, desde ontem até amanhã, num seminário de capacitação de formadores municipais sobre a incidência do VIH/Sida, malária, tuberculose, febre-amarela, saúde sexual e reprodutiva.
No seminário, promovido pela Direcção Provincial da Educação, Ciência e Tecnologia e com o apoio da Unesco e do Unicef, vão ser abordados temas sobre VIH/Sida, suas formas de transmissão e de apoio às vítimas, vulnerabilidades e riscos, estigma e discriminação, bem como a tuberculose, suas causas e consequências.
O programa do seminário de capacitação contempla também matérias ligadas à abordagem sobre a malária, febre-amarela, drogas, estratégias sobre a saúde sexual e reprodutiva para os adolescentes e jovens, bem como os métodos de disseminação das informações em prol da prevenção das grandes endemias. O seminário de capacitação está a ser orientado por um formador do Ministério da Educação, que vai transmitir os conhecimentos, quer na vertente teórica, quer prática, através do debate em grupos. O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia referiu que a formação dos actores da educação nas comunidades, sobretudo do meio rural, é um contributo do sector no combate às grandes endemias a nível do Cuanza Sul.
Francisco Júnior acrescentou que a formação de multiplicadores da informação preventiva nas comunidades constitui o seguimento de acções iniciadas, desde a revitalização, em 2013, do projecto que contempla um conjunto de tarefas atinentes à prevenção das grandes endemias no país.
O director provincial da Saúde, Abreu Undongo, considerou a formação como uma acção que vai constituir uma rede de multiplicadores das acções ligadas à prevenção de grandes endemias nas comunidades. “Para nós, sector da Saúde, um seminário que aborda matérias ligadas à prevenção das grandes endemias constitui uma ferramenta útil e concorre para o estímulo dos seis órgãos dos sentidos dos multiplicadores das informações preventivas”, disse.
O responsável reconheceu ainda que a proliferação de doenças e grandes endemias nas comunidades resulta da falta de informações por parte dos cidadãos.
Abreu Undongo apelou para a necessidade de todos os sectores se juntarem à causa de prevenção das grandes endemias, que considerou ser a chave para a construção de uma sociedade sã.

Tempo

Multimédia