Províncias

Emitidos mais de 19 mil bilhetes de identidade

Kayila Silvina | Mbanza Kongo

Um total de 19 mil e 594 bilhetes de identidade e 5 mil e 140 registos criminais foram emitidos de Janeiro a Agosto do corrente ano, pelo Sector de Identificação Civil no Zaire, resultando na arrecadação aos cofres do Estado de cinco milhões 572 mil e 688 Kwanzas.

Fotografia: DR

O responsável do departamento de Identificação Civil e Criminal no Zaire, Paixão Gouveia, explicou 10.014 bilhetes de identidade foram isentos de pagamento de emolumentos.
Paixão Gouveia mostrou-se preocupado com o aumento de casos de requerentes que solicitam a emissão do bilhete de identidade e que não se dignam regressar para o levantamento.
“Os Serviços de Identificação Civil e Criminal no Zaire têm em sua posse mais de 400 bilhetes de identidade, que aguardam pelos seus proprietários”, disse Paixão Gouveia, acrescentando que "o bilhete de identidade não é emitido na hora, demora sete dias para que seja entregue ao cidadão".
Na província do Zaire, ainda de acordo com Paixão Gouveia, existem quatro postos de Identificação Civil e Criminal, nomeadamente nos municípios do Soyo, Nzeto, Cuimba e Mbanza Kongo.
Paixão Gouveia deu a conhecer que os municípios do Tomboco e Nóqui já têm todo o equipamento montado para a emissão do Bilhete de Identidade, faltando apenas recursos humanos e meios de comunicação, para garantir o funcionamento dos referidos postos. Os Serviços de Identificação Civil e Criminal no Zaire contam, desde 2017, com um carro móvel, equipado para a emissão de bilhetes de identidade nas localidades mais longínquas.
Os postos de emissão de bilhetes de identidade têm capacidade para atender 150 requerentes por dia, mas, segundo Paixão Gouveia, “só são atendidos 40 cidadãos por dia, devido à pouca procura da população”.
Paixão Gouveia disse que os Serviços de Identificação Civil e Criminal na província do Zaire contam com 36 funcionários, número considerado insuficiente.
O responsável lamentou o facto de muitos pais e encarregados de educação só se preocuparem em tratar os documentos dos filhos nos finais do ano ou no início do ano lectivo.
“De Março a Outubro os Serviços de Identificação Civil e Criminal não têm registado enchentes” sublinhou Paixão Gouveia.

Imigração ilegal no Nzeto

Um automobilista, de 29 anos, que transportava para Luanda duas cidadãs da República Democrática do Congo (RDC), foi detido domingo pela Polícia Nacional, no município do Nzeto, província do Zaire, por suspeita de auxílio à imigração ilegal.
A detenção ocorreu no posto policial do rio Loge, que delimita a província do Zaire com a do Bengo.
Segundo o porta-voz do comando provincial do Zaire da Polícia Nacional, Luís Bernardo, que avançou ontem a informação à Angop, após a vistoria foram encontradas, na cabine do camião, duas cidadãs estrangeiras cobertas com forro e deitadas no “banco-cama” da mesma viatura.
O motorista do veículo, acrescentou, tentava ludibriar os efectivos da Polícia Nacional e do Serviço de Investigação Criminal (SIC) em serviço naquele posto de controlo.
Informou que os órgãos do Ministério do Interior estão atentos com os novos métodos dos cidadãos nacionais que enveredam pela promoção e auxílio à imigração ilegal.
Disse terem sido recorrentes os casos de auxílio à imigração ilegal naquele posto policial e que envolvem na sua maioria automobilistas, destacando a interpelação, no mês passado, de um cidadão angolano que transportava para Luanda duas crianças de três e quatro anos de idade e um adolescente de 14 anos.
A província do Zaire partilha 330 quilómetros de fronteira com a região do Congo Central (RDC).

Tempo

Multimédia