Províncias

Ensino especial com melhores condições

Maximiano Filipe | Benguela

A província de Benguela conta, desde o início desta semana, com uma área para avaliação e diagnóstico de necessidades educativas especiais, instalada nas salas anexas do Instituto Superior de Ciências da Educação da Universidade Katyavala Bwila pela Fundação Lwini.

Criadas condições para que o aluno com necessidades educativas especiais tenha acesso ao conhecimento através de computadores
Fotografia: José Soares

Equipada com computadores ligados ao sistema geral de internet, a área integra um gabinete audiovisual de apoio ao estudante, com acessibilidade física e digital.
O acto de inauguração do património académico e estudantil foi presidido pelo governador Isaac do Anjos, que doou 40 cadeiras de rodas, dez das quais para crianças.
Durante o acto, a fundação doou igualmente bolas de futebol e de basquetebol e uma biblioteca equipada com diverso material didáctico, para apoiar cerca de 50 estudantes com necessidades educativas especiais. A doação vai beneficiar as escolas do ensino especial localizadas na cidade de Benguela e no município do Bocoio.

Área de avaliação


A abertura da área para avaliação e diagnóstico de necessidades educativas especiais está inserida na cerimónia de encerramento da jornada comemorativa dos 18 anos da constituição do Fundação Lwini, iniciada na Faculdade de Direito da Universidade Agostinho Neto, em Luanda, com extensão para todas as províncias, segundo a curadora da Fundação, Ana Guimarães.
De acordo com a curadora, a iniciativa visa criar condições para que o aluno com necessidades educativas especiais tenha acesso ao conhecimento, através dos computadores e outras tecnologias de ponta, colocados à sua disposição.
Para Antónia Rocha, directora da escola do ensino especial de Benguela, o gesto constitui uma grande valia, na medida em que vai minimizar o sofrimento dos estudantes com necessidades especiais. Durante o acto, Albano Ferreira, o reitor da Universidade Katyavala Bwila, anunciou estarem criadas as condições para se graduar estudantes em mestrado em educação especial. “Apesar de a província de Benguela ser pioneira neste sentido, podemos considerar que é um grande passo que se deu, visto que o processo já se encontra em fase final de avaliação a nível técnico e científico”, sublinhou.
Para o reitor da Universidade Katyavala Bwila, o acto realizado pela fundação Lwini é significativo, porque, referiu, responde de forma acertada a um dos objectivos da instituição académica que dirige, no que toca à qualidade da formação integradora e inclusiva dos estudantes com características especiais.
 “Esta acção resultou de um trabalho iniciado por docentes especialistas e pesquisadores, realizado com estudantes de educação especial do Instituto de Ciências da Educação de Benguela, tendo-se revelado que é possível resolver problemas educacionais com a participação de diversos autores”, realçou o reitor.
Além da direcção da Fundação Lwini, o acto contou com a participação de membros do Governo da Província de Benguela, docentes universitários e dos administradores municipais de Benguela e do Bocoio.

Tempo

Multimédia