Províncias

Escassez de dinheiro no BPC preocupa servidores públicos

Alzira da Silva | Menongue

A escassez de dinheiro nos balcões do Banco de Poupança e Crédito (BPC) da cidade de Menogue está a preocupar os clientes, muitos dos quais funcionários públicos, que são obrigados a levantar apenas 20 mil kwanzas por dia.

Clientes no interior de uma dependência bancária do Banco de Poupança e Crédito
Fotografia: JA

A escassez de dinheiro nos balcões do Banco de Poupança e Crédito (BPC) da cidade de Menogue está a preocupar os clientes, muitos dos quais funcionários públicos, que são obrigados a levantar apenas 20 mil kwanzas por dia.

O secretário provincial da UNTA no Kuando-Kubango manifestou-se, na sexta-feira, “seriamente preocupado com a forma inadequada como os responsáveis locais do Banco de Poupança e Crédito estão a lidar com o problema, já que está em causa a vida de milhares de trabalhadores.
Manuel Samba, que falava na abertura das Jornadas Sindicais dedicadas ao Dia Internacional do Trabalhador, que se assinala a 1 de Maio, disse ser inaceitável que, um trabalhador com mais de três meses de salário em atraso levante apenas 20.000 kwanzas por dia. “O montante é irrisório para cobrir todas as despesas contraídas durante um longo período”, afirmou o dirigente sindical, realçando que a UNTA enviou uma nota de protesto ao governo da província e à direcção do BPC. O que a UNTA pretende é que haja uma explicação sobre as razões da escassez de dinheiro nos balcões do BPC, um banco comercial público.  A UNTA conta com quatro sindicatos, um comité provincial da mulher sindicalizada, composto por oito núcleos, 59 comissões sindicais nas empresas e centros de trabalhos, que têm sob seu controlo 6.839 trabalhadores, dos quais 3.148 mulheres. Em saudação ao Dia Internacional do Trabalhador, a organização sindical agendou uma série de palestras dirigidas a trabalhadores filiados nos sindicatos.

Tempo

Multimédia