Províncias

Escola Superior Pedagógica luta com falta de professores

Armando Sapalo|Dundo

A falta de professores na Escola Superior Pedagógica da Lunda-Norte, unidade orgânica da Universidade Luegi Akonde, pode comprometer as aulas, sobretudo no curso de línguas, portuguesa, francesa e inglesa, disse, na quarta-feira, no Dundo, o seu director-geral.

A foto ilustra um docente a dar aulas numa das faculdades do país
Fotografia: Jornal de Angola

A falta de professores na Escola Superior Pedagógica da Lunda-Norte, unidade orgânica da Universidade Luegi Akonde, pode comprometer as aulas, sobretudo no curso de línguas, portuguesa, francesa e inglesa, disse, na quarta-feira, no Dundo, o seu director-geral.
Augusto Chipombela afirmou que enquanto não se preencherem as vagas para professores nas disciplinas básicas, especialmente de metodologia e práticas pedagógicas, literatura, língua e cultura, aquele curso pode, este ano lectivo, estar comprometido.
“Precisamos de oito professores para leccionar disciplinas nucleares, sem as quais os estudantes ficam, certamente, prejudicados”, referiu.
Esta situação, sublinhou, resulta do facto dos professores de nacionalidade portuguesa, que leccionavam aquelas disciplinas terem recusado renovar o contrato.  
Neste momento, disse, a escola é assegurada por 38 professores, 17 efectivos e sete colaboradores, angolanos, e 14 cubanos em regime de cooperação, número insuficiente, para as necessidades globais.
Chipombela assegurou que estão a se desencadeados esforços, em coordenação com o Ministério de tutela e com o governo provincial, para a contratação, ainda este ano, de novos professores, que assegurem não só o curso de línguas, mas a disciplina de portuguesa nos diferentes cursos.
Além da questão dos professores, o director-geral da escola referiu a falta de material na biblioteca e nos laboratórios de física, química e matemática. A Escola Superior Pedagógica da Lunda-Norte foi inaugurada, em 2004, pelo então Primeiro-Ministro, hoje Vice-Presidente da República, Fernando Dias da Piedade Dias dos Santos.
A escola já colocou no mercado de emprego cerca de 300 quadros em pedagogia, a nível bacharelato e nas especialidades de português, matemática, física, química, biologia e educação de infância.  

Tempo

Multimédia