Províncias

Escolas mais perto das crianças da Matala

Estanislau Costa | Lubango

O sector da Educação na povoação da Camulemba, município da Matala, foi reforçado com a entrega à comunidade de uma nova escola do I e II ciclo de ensino, que entra em funcionamento a partir do próximo ano lectivo.

A partir do próximo ano centenas de crianças da comunidade vão deixar de estudar debaixo de árvores com a entrega da nova escola
Fotografia: Arimateia Baptista|Matala

A professora do I ciclo do ensino secundário, Esperança Madalena, satisfeita com a nova escola, referiu que, até aqui, as crianças tinham aulas em salas improvisadas debaixo das árvores, em assentos de blocos ou troncos, sujeitas ao roncar dos veículos, ventos, chuvas e à invasão de gado bovino, factores que atrapalhavam as aulas.
A aplicação do Programa Municipal Integrado de Desenvolvimento Rural e Combate à Pobreza na província da Huíla, está a desenvolver as zonas mais isoladas do país, com a criação de diversas infra-estruturas apetrechadas com vários equipamentos.
  “A nossa missão é formar o homem do futuro na povoação da Camulemba, que acaba de ter novas escola com muito boas condições”, afirmou, pedindo a pais e alunos que colaborem na preservação do empreendimento. A escola do I e II ciclos do ensino primário, entregue às autoridades locais pelo governador da Huíla, João Marcelino Tyipinge, possui seis salas, área administrativa de lazer e recreação, entre outras divisórias.
O estabelecimento, orçado em 37 milhões de kwanzas, vai acolher 810 alunos, facto enaltecido pelo Pastor da Igreja Metodista, João Chavier, que recordou o facto de a escola na comunidade estar a ser pedida há três décadas. “As desistências eram altas todos os anos lectivos, devido à distância a que se encontrava a escola”.
A partir do próximo ano lectivo, afirmou, vai aumentar o número de crianças a estudar e não vai haver mais razões para desistência, porque o empreendimento escolar está ao lado das casas das pessoas. Congratulou-se, ainda, com a instalação de um sistema de captação e abastecimento de água potável, e com a montagem de um gerador. O governador procedeu, ainda, à entrega de um posto de saúde na povoação do quilómetro 15, orçado em 13 milhões de kwanzas.  A unidade, que vai funcionar com sete técnicos, possui uma sala de observação, para consultas de pediatria, maternidade e aconselhamento. />O administrador municipal da Matala, Miguel Vicente, disse ao Jornal de Angola que a maior preocupação tem a ver com a criação de condições para assistência médica e medicamentosa às famílias que habitam nas zonas rurais.   “Estamos empenhados em que os postos de saúde estejam próximo das famílias e apetrechados com fármacos”, notou. Atingida esta meta, vai ser possível salvar muitas vidas, reduzir o fluxo de pacientes nas grandes unidades hospitalares e tornar abrangentes as campanhas de sensibilização e mobilização sobre a prevenção do contágio de doenças, e educar a população a recorrer aos serviços médicos em caso de anomalia no organismo.

Administração de Capelongo

Os funcionários da administração comunal de Capelongo, município da Matala, passam doravante a prestar serviço em condições aceitáveis, com a construção de instalações para a Administração, no quadro do Programa de Combate à Pobreza, que custaram 27 milhões de dólares.
 João Marcelino Tyipinge informou, durante um breve contacto com a população, que os servidores públicos da comuna de Capelongo têm agora um espaço digno para desenvolver o seu trabalho e solucionar as preocupações da população. Em 2014, o município da Matala passa a ser um Pólo de Desenvolvimento Industrial, fruto da aquisição e montagem de equipamento nas unidades fabris de produção e transformação de matéria-prima. Para o efeito, os técnicos já trabalham no levantamento de todo o processo para a concretização dos empreendimentos.
Consta do programa de acção para o município a construção de mil casas evolutivas na sede do município e nas comunas de Capelongo e Mulondo. As novas infra-estruturas projectadas vão servir de alavanca para o desenvolvimento agrícola e diversificação da produção de alimentos.

Tempo

Multimédia