Províncias

Especialista aponta causas do surgimento de ravinas

Marcelo Manuel | Ndalatando Marcelo Manuel | Ndalatando

A erosão dos solos e das rochas resultante de processos naturais, devido à acção combinada da gravidade com a água e o vento, são apontadas como as principais causas do surgimento de ravinas em vários pontos do país. A informação foi avançadada ontem, ao Jornal de Angola em Ndalatando, pelo docente universitário António Madaleno.

Ndalatando tem um total de onze ravinas identificadas
Fotografia: Marcelo Manuel| Edições Novembro| Ndalatando

O professor de Engenharia Civil da Universidade Agostinho Neto que foi prelector na sexta-feira do tema “A importância da arborização na preservação de ravinas, durante o lançamento do programa de educação ambiental”, promovido pela associação “Vida pela Vida”, disse existirem outros factores que concorrem para a propagação de ravinas.
Frisou que a desflorestação, construção em encostas e uso de técnicas agrícolas empíricas, são outros factores que concorrem para o aumento do fenómeno.
O docente definiu as ravinas como erosão pluvial que ocorre quando a água do escoamento superficial escava o solo, atingindo horizontes inferiores, apresentando perturbação ou impermeabilização e abertura de vias de comunicação.

Consequências nefastas

De acordo com António Madaleno as erosões podem criar consequências nefastas como a destruição de edificios, corte de estrada, assoreamento de rios e a consequente turvação das suas águas.
Em relação ao controlo da erosão pluvial, sublinhou que as entidades governamentais locais devem criar meios para interceptar o escoamento superficial.
Por sua vez o director do Gabinete do Provincial do Ambiente, Gestão de Resíduos Sólidos e Serviços comunitáris do Cuanza-Norte, Ilson Sebstião, revelou que a nível do municipio de Cazengo estão identificadas onze ravinas. As mesmas estão espalhadas pelos bairros da Camundai, Miradouro, Banga, Sassa e junto da estrada nacional 230.

Tempo

Multimédia