Províncias

Estrada Bailundo-Lungi recebe obras de restauro

Adolfo Mundombe | Lungi

A estrada que liga o município do Bailundo à comuna do Lungi, via Missão Católica, começa brevemente a ser restaurada, garantiu ontem, ao Jornal de Angola, o administrador local, Bento Katchiyo.

A estrada que liga o município do Bailundo à comuna do Lungi, via Missão Católica, começa brevemente a ser restaurada, garantiu ontem, ao Jornal de Angola, o administrador local, Bento Katchiyo.
Devido ao avançado estado de degradação da via, numa primeira fase vão ser feitos trabalhos de terraplanagem e só depois vai ser asfaltada.
Este troço é a principal via de escoamento de produtos cultivados naquelas localidades para os mercados do município e da sede comunal, sendo por isso uma das prioridades da administração.
Localizada a 33 quilómetros da vila do Bailundo, a comuna do Lungi é uma das principais produtoras de milho, feijão, mandioca, batata-doce, soja e arroz do município, e a maioria da sua população é camponesa.
Bento Kacthiyo afirmou que está também em curso a reabilitação de pontes, a construção de mais escolas, postos de saúde e outros serviços na comuna.
O sector agrícola está em crescimento e, de acordo com o administrador, as colheitas do ano passado ultrapassaram as expectativas. Os produtores têm beneficiado de apoio em fertilizantes e outros meios destinado à agricultura.
Para este ano, as perspectivas continuam animadoras, apesar da estiagem que assolou a região. “Estamos a incentivar os camponeses a cultivar em terrenos húmidos para superarmos o período de fome”, disse o administrador.
A comuna do Lungi tem 12 associações de camponeses, sendo a associação Mutuyakevela a que mais se destaca na produção, sobretudo de arroz. A principal dificuldade é a falta de máquinas de descasque do arroz. A população também se debate com a falta de rede de telemóvel.
Quanto a novas infra-estruturas sociais, foram construídos mais alguns postos de saúde e o número de técnicos satisfaz as necessidades.
De acordo com o administrador, foi inaugurado, neste primeiro trimestre, um posto de saúde na aldeia Cassenje e dentro de alguns dias abre as portas o centro de saúde de referência na sede.
 
Educação e ensino
 
Na comuna do Lungi foi inaugurada, no princípio deste ano, na aldeia de Golongo, uma escola comunitária, com seis salas.
Mais de dez mil alunos frequentam a escola, da iniciação à 9ª classe. Apesar disso, para que deixem de haver crianças fora do sistema de ensino, é necessária a construção de mais escolas e a contratação de professores para o ensino primário e secundário.
“Muitas crianças nas ombalas de Tchipanji, Utchiya, Lomanda, Capoco e Catolo não estudam por falta de professores e isso preocupa as autoridades locais”, realçou Bento Kacthiyo.

Tempo

Multimédia