Províncias

Estrada nacional fica concluída este ano

Isidoro Samutula| Dundo

As obras de reabilitação da Estrada Nacional 180-A, no troço Dundo-Nzagi, com 90 quilómetros de percurso,  são concluídas até ao final deste ano,   disse, no sábado, o director-adjunto da empresa Omatapalo, responsável pelas obras.

Reabilitação do troço rodoviário Dundo e Nzagi vai impulsionar o desenvolvimento económico e social dos municípios do Chitato e Cambulo e encurtar a distância entre as duas localidades
Fotografia: Isidoro Samutula| Dundo

Vítor Dias informou estarem concluídos mais de 50 quilómetros de estrada, que compreende uma faixa de rodagem de nove metros, sendo três e meio para cada lado e um metro de berma para cada lado, com uma estrutura asfáltica de cinco centímetros. A estrada está projectada para cinco milhões de veículos num horizonte temporal de dez anos.O director-adjunto da Omatapalo reconheceu que as obras decorrem a bom ritmo, com uma execução física na ordem de 80 por cento.
 “Estamos a trabalhar com muita responsabilidade e dedicação no sentido de apresentarmos uma obra com qualidade e eficiente. Nesta empreitada estão envolvidos 220 trabalhadores nacionais e 20 expatriados”, esclareceu.
Uma preocupação levantado pelo director-adjunto da Omatapalo está relacionada com o facto de   não constar no contrato da reabilitação da estrada a reconstrução de pontes, o que, segundo ele, pode criar estrangulamentos.O governador provincial, Ernesto Muangala, que no sábado constatou o andamento das obras da Estrada Nacional 180-A, mostrou-se satisfeito com o empenho dos  intervenientes na empreitada. “Esta obra começou em Outubro de 2014 e, pelo que verifico, está com um ritmo aceitável, dentro dos prazos previstos.”
Ernesto Muangala garantiu que  a reabilitação do troço rodoviário Dundo-Nzagi  permite impulsionar o desenvolvimento  económico e social dos municípios do Chitato e Cambulo e encurtar a distância entre as duas localidades. O governador provincial verificou também os trabalhos de contenção da ravina do bairro Chico Carreiro, na vila mineira de Nzagi, que está a inviabilizar a ligação das condutas de água do sistema de captação do Satxicuco para a zona urbana e bairros periféricos.
 Ernesto Muangala aproveitou a ocasião para solicitar aos empreiteiros maior rapidez dos trabalhos, com vista a estancar a ravina nos próximos dias e permitir a conclusão dos trabalhos do sistema de água potável à  população da vila mineira de Nzagi.O governador provincial reconheceu o trabalho que está a ser feito para garantir os serviços básicos essenciais à população, num período difícil para a economia nacional.

Tempo

Multimédia