Províncias

Estudantes finalistas querem mais cursos

Estudantes finalistas do ensino médio em Ondjiva, Cunene, defenderam na segunda-feira a abertura de mais cursos do ensino superior na região, para permitir aos jovens da província continuarem a sua formação a­cadémica superior.

A estudante do 13º ano da Escola de Formação de Professores de Ondjiva, Ana Donana Guenve, disse à Angop que a maior preocupação dos estudantes é a falta de instituições do ensino superior na região, pois a única existente não satisfaz a procura de alunos.
De acordo com ela, depois da conclusão do ensino médio os estudantes encontram dificuldades em continuar a formação no curso que pretendem seguir, obrigando à deslocação dos estudantes para outras províncias.
Artias dos Santos, finalista do curso de administração e gestão, disse que a opção de cursos no ensino superior na região é limitada, uma vez que a única escola superior apenas lecciona cursos de ciências de saúde, educação, engenharia agropecuária informática e gestão.
“Esta situação deixa-nos muito preocupados, pois nem todos os estudantes têm condições financeiras para dar continuidade à formação superior, optando muitas vezes por fazer cursos fora do contexto ou até mesmo parar a formação média. Acho importante o governo construir mais escolas do ensino superior”, explicou.   
No Cunene existe apenas uma Escola Superior Pedagógica, com 12 salas, que alberga estudantes dos seis municípios e de províncias vizinhas.
Aberta em 2009, a instituição tem 1.334 estudantes nos cursos de Ciências de Saúde, Educação e Engenharias Agropecuária e de Informática, em três turnos.

Tempo

Multimédia