Províncias

Eusébio de Brito Teixeira exige entrega das obras

Nicolau Vasco | Menongue

O governador do Kuando-Kubango revelou na sexta-feira estar arreliado com a construtora chinesa Sinohydro e a portuguesa Sonip, contratadas em 2010 para a construção de cinco mil fogos habitacionais, no quadro do programa nacional de um milhão de casas, mas até à agora as obras ainda não começaram.

Governador garante que os compromissos apenas foram cumpridos pelo governo
Fotografia: Nicolau Vasco | Menongue

O governador do Kuando-Kubango revelou na sexta-feira estar arreliado com a construtora chinesa Sinohydro e a portuguesa Sonip, contratadas em 2010 para a construção de cinco mil fogos habitacionais, no quadro do programa nacional de um milhão de casas, mas até à agora as obras ainda não começaram. Eusébio de Brito Teixeira disse que o governo já cumpriu todos os procedimentos legais dos contratos, incluindo o dinheiro, mas, por incrível que pareça, até agora as duas construtoras contratadas nem sequer se dignaram a limpar os terrenos onde vão ser erguidos os cinco mil fogos habitacionais, sendo 4.500 na cidade de Menongue e 500 no município do Cuito Cuanavale. 
Em declarações à imprensa, no final de uma jornada de campo, no município do Cuchi, afirmou ter solicitado um encontro de emergência com os responsáveis das duas empresas de construção, para se apurar responsabilidades sobre o andamento das obras. Na sede do município do Cuchi, o governo aproveitou para visitar um outro projecto de construção das primeiras 100 casas, das 200 previstas, que estão a ser erguidas pela construtora angolana Tuamutunga. Neste momento, está a ser feito o trabalho de limpeza do terreno de 12 hectares. As primeiras 100 moradias vão ser entregues no mês de Agosto.
Na mesma localidade, Brito Teixeira foi ver de perto o andamento das obras de construção de uma escola do segundo ciclo com 16 salas, o edifício da administração e a ponte sobre o rio Cuchi, as duas últimas em fase de acabamento e que também podem ser inauguradas em Agosto.
No final da visita, anunciou que as obras de construção de casas sociais nas sedes dos municípios de Calai, Cuangar, Dirico, Mavinga e Nancova, que foram, numa primeira fase, contemplados cada um com 50 moradias, têm o seu início previsto para o próximo mês de Junho.

Tempo

Multimédia