Províncias

Exigida maior união das igrejas legais sedeadas na região

Venâncio Víctor | Malanje

O Governo de Malanje apela às igrejas reconhecidas pelo Estado para estarem cada vez mais unidas, no sentido de melhor ajudarem o Governo a resolver os principais problemas que afectam a população. O pedido foi feito terça-feira  pelo governador Norberto dos Santos.

O governante,  que falava durante uma reunião de auscultação a cerca de 50 líderes religiosos de igrejas sediadas na província, salientou ser fundamental que as congregações religiosas sejam fortes para servirem, na verdade, de boas parceiras do Estado.
Norberto dos Santos enalteceu o papel das igrejas no trabalho com as comunidades e o apoio que têm prestado ao Governo nas tarefas de reconstrução e de desenvolvimento do país, em particular nos sectores da Saúde, Educação, Saneamento Básico e de Assistência Social.
O director provincial da Cultura, José da Costa Gaspar, considerou que as relações entre o Estado e as igrejas são salutares e salientou que as referidas instituições dão um grande contributo na busca de soluções.
O reverendo João de Almeida, da Igreja Africano Sião, assegurou que as agremiações religiosas vão continuar a fortalecer as relações com o Governo, para que o número de crianças fora da escola e o de mortes das comunidades baixe.
A província de Malanje conta com 48 igrejas legais, numa altura em que o Governo controla outras 86 congregações não legalizadas.

Tempo

Multimédia