Províncias

Expansão na área de transportes públicos é primeira prioridade para o próximo ano

Jesus Silva | Lobito

O director provincial dos Transportes, Correios e Telecomunicações em Benguela, José António “Valongo”, disse ontem que o sector que dirige tem como tarefa prioritária em 2010 a continuidade da expansão dos transportes colectivos públicos.

Frota de autocarros vai aumaentar a circulação de pessoas e bens
Fotografia: Jesus Silva

O director provincial dos Transportes, Correios e Telecomunicações em Benguela, José António “Valongo”, disse ontem que o sector que dirige tem como tarefa prioritária em 2010 a continuidade da expansão dos transportes colectivos públicos em toda a extensão da província e promover o desenvolvimento do serviço de táxis personalizados, com o objectivo de reduzir o fluxo de moto-táxis (kupapatas).
O responsável falava por ocasião do balanço anual das actividades desenvolvidas em 2009, tendo adiantado que, no próximo ano, a instituição vai continuar a acompanhar a evolução da taxa de inflação e a sua repercussão nos preços dos transportes públicos urbanos, assim como o programa de reposição de viaturas destruídas no período de guerra.
Referiu que constam ainda das acções previstas para 2010 a promoção da fiscalização e legalização de todo o sector, mormente oficinas auto, recauchutagens e lojas de venda de equipamento rodoviário, de forma a reduzir a fuga ao fisco.
Segundo José Valongo, no decurso de 2009, no âmbito do programa do Governo de distribuição de autocarros a todas as províncias do país, Benguela foi contemplada com cerca de cem. Surgiram no mercado dois operadores de táxis convencionais, nomeadamente, Rosalina Expresso e Afritáxis. Este ano, foi possível exercer o controlo dos preços dos transportes colectivos. Afirmou que foi criado um programa de fiscalização de todo o sector dos transportes e Telecom, que tem surtido efeito e contribuído para reduzir as fugas ao fisco, assim como constatou a execução dos programas das empresas afectas. />Durante o ano passado foram licenciados 570 táxis, 400 camiões, 155 autocarros e 23 carrinhas. A província conta com 12 viaturas rent-a-car e tem um universo de aproximadamente 300 viaturas. De acordo com o director provincial dos Transportes, a província possui sete operadoras de autocarros, nomeadamente a S.G.O, E.D.T, Transflamingo, STRB, SERES, Chibinha e Capicot.  Na província escalam cinco operadoras aéreas, nomeadamente a TAAG, Sonair, Diexim, Air-26 e Gemini. “Acompanhamos a reabilitação dos aeroportos de Benguela, Catumbela e a construção do aeródromo internacional em curso na referida comuna”, frisou.
Debruçando-se sobre as escolas de condução, disse existirem quatro na cidade do Lobito (Quatro Rodas, Auto Renovadora, Lupuka e Loconduz), Benguela (Auto Fama, Elicar e Sijoma), Bocoio, (Auto Cangu), Balombo, (Keve Invest), Cubal, ( Filial Sijoma) e Chongorói, (Cristo Rei).
José Valongo precisou que o sector controla, na província, 34 oficinas-auto, sendo 16 em Benguela e 18 na cidade do Lobito, bem como cinco concessionárias, nomeadamente, Cosal, Toyota, Robert Hudson, M’ Bakassi & Filhos e Ecoserv.
Ainda relativamente aos transportes públicos, foram criadas, com a colaboração das administrações municipais, Obras Públicas e o Instituto de Estradas, novas rotas urbanas e a criação de bases de autocarros nos municípios do interior.
“Acompanhamos a instalação de faróis na orla marítima, a reabilitação do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB) e a modernização do Porto Comercial do Lobito, assim como a instalação de cabos de fibra óptica e a modernização da Unitel e Movicel”, referiu.

Tempo

Multimédia