Províncias

Falta de regulamento preocupa os gestores

Os participantes no seminário estão preocupados com a falta de regulamento da comparticipação dos pais e encarregados de educação na gestão escolar. O documento divulgado no encerramento realça que o regulamento da comparticipação dos pais estipula os valores a cobrar por outros serviços prestados nas escolas públicas.

Os participantes no seminário estão preocupados com a falta de regulamento da comparticipação dos pais e encarregados de educação na gestão escolar. O documento divulgado no encerramento realça que o regulamento da comparticipação dos pais estipula os valores a cobrar por outros serviços prestados nas escolas públicas.
Os participantes consideraram que o regulamento é um instrumento complementar de gestão escolar, que pode contribuir para mudar a imagem actual das escolas públicas e comparticipadas.
Os directores consideram ainda o novo perfil de competências do director como inovador e comunicativo em relação a outras dependências de direcção das escolas, pelo facto de evitar transtornos à comunidade educativa e aos funcionários das instituições de ensino.
O director provincial da Educação justificou que o regulamento da comparticipação dos pais está a ser preparado com muita atenção, para estabelecer as regras mais adequadas de contribuição dos pais e encarregados de educação e evitar uma má interpretação.

Gestão participativa

A gestão participativa dos processos educativos é determinante para corresponder às novas necessidades do sector da Educação e, principalmente, das instituições escolares, tendo em vista a melhoria da qualidade do processo de ensino e aprendizagem e o exercício da cidadania, concluíram.
Os formados consideraram que os grupos de inter-aprendizagem e as zonas de influência pedagógica são oportunidades de partilha e aprendizagem colectiva, enquanto a planificação e a estatística são elementos cruciais para o desenvolvimento do sistema educativo.
Os participantes tomaram conhecimento das novas políticas da inspecção da educação em Angola, que visa uma maior aproximação entre esta e as direcções de escola, face aos novos desafios.
Américo Chicoty disse que os directores estão em condições de assumir as suas responsabilidades, organizar o funcionamento das escolas e transmitir os conhecimentos adquiridos aos professores e outros colegas, que ainda não foram contemplados.
“Os frutos da educação devem corresponder às expectativas do sector e da comunidade. Os funcionários da Educação são servidores públicos e não fazem favor a ninguém, pelo contrário, cumprem com o seu dever.  Devemos servir o Estado, a Nação e a sociedade”, disse Américo Chicoty .
D.M.

Tempo

Multimédia